eiro o POVO

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

'NÃO TIVE OPÇÃO', DIZ UNIVERSITÁRIO PRESO POR TENTAR SUBORNAR GUARDAS MUNICIPAIS EM FORTALEZA

O universitário que foi detido suspeito de tentar subornar guardas municipais em Fortaleza disse nesta quinta-feira (31), após ser liberado da delegacia, que "não teve opção" a não ser pagar o valor aos guardas. Ele diz que pediu que os agentes o ajudassem e que foi induzido a oferecer o dinheiro. Os guardas municipais que prenderam o estudantes foram retirado das fiscalizações nas ruas.

“Eu não queria pagar os R$ 900. Eu queria que ele me desse uma ajuda, tipo ‘essa sua moto vai ser rebocada, mas essa multa aqui eu vou conseguir anular pra você’. Mas aí ele [guarda] disse: ‘o que você tem pra nós?’ . E aí eu não pude fazer outra coisa, eu não tive opção”, alegou o estudante de 23 anos.

O estudante deixou a unidade policial em estava preso após audiência de custódia nesta quinta-feira. Ele ficará em liberdade, sem tornozeleira eletrônica. A família do garoto afirma que ele foi "pressionado" a fornecer suborno, com base no diálogo que ele teve com o guarda municipal antes da prisão.

A prisão do universitário Antônio Anderson Leôncio Moreira ocorreu na segunda-feira (28), quando ele foi parado por uma equipe da Guarda Municipal devido irregularidades em sua motocicleta. Ele ofereceu dinheiro aos agentes e foi preso em flagrante. A conversa foi filmada pelos guardas municipais e divulgada em redes sociais.

Confira um trecho do diálogo entre o guarda municipal e jovem:

Guarda Municipal: Vamos conversar com ele aqui direitinho. Mas diga aí mesmo quanto é o...

Suspeito: R$ 150, homem. Me ajude, por favor, ele tem R$ 80.

Guarda Municipal: R$ 150? Pra liberar?

Suspeito: é R$ 150, né?

Guarda Municipal: agora se vira aí que tu tá preso. A Guarda Municipal não trabalha desse jeito, não. A Guarda Municipal não trabalha com corrupção.

Suspeito: e vai me liberar agora?

Guarda Municipal: você vai pra delegacia, tá bom?

Imagens serão analisadas

O diretor adjunto da Guarda Municipal, Marcílio Tavares, disse que a instituição investiga o vídeo. Segundo ele, houve infração de trânsito porque a motocicleta estava sem placa e estacionada na calçada, mas ainda é preciso analisar o diálogo.

Se for constatado que ele induziu o universitário ao suborno, o guarda pode sofrer processo administrativo. A análise das imagens deve levar de 30 a 60 dias.

Por enquanto os guardas municipais mudam de função após prisão por suposta tentativa de suborno Os profissionais foram direcionados a postos patrimoniais após prisão de universitário.
Com G1/CE




Postar um comentário