sexta-feira, 11 de março de 2022

Funcionários terceirizados da Cagece reclamam de atraso recorrente de salários

 

Trabalhadores cobraram por medidas para regularização dos salários na sede da Cagece, em ato nessa quinta-feira, 10(foto: Divulgação/Seeacon-CE)

Trabalhadores terceirizados da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) estão tendo problemas com atraso de salários desde o fim de 2020, conforme denuncia o Sindicato dos Empregos em Empresas de Asseio e Conservação, Locação e Administração de Imóveis Comerciais, Condomínios e Limpeza Pública do Estado do Ceará (Seeacon-CE).

 

O diretor-tesoureiro da entidade, Josenias Gomes, diz que em alguns meses o pagamento chegou a atrasar 20 dias para os trabalhadores de algumas cidades. No caso de Fortaleza, os profissionais já tiveram que lidar com atraso do pagamento de cerca de 15 dias. Ele aponta ainda que a empresa demite funcionários e não paga a rescisão. Trabalhadores se manifestaram contra a situação em Sobral, Tianguá e Fortaleza, nessa quinta-feira, 10.


“Os funcionários ficam com as mãos atadas no fim do mês. Eles acabam pagando juros em relação aos gastos que tiveram no mês anterior, precisam continuar colocando combustível nos seus veículos para trabalhar”, enfatiza Josenias, ressaltando que o sindicato não consegue um retorno da empresa sobre os motivos dos atrasos recorrentes.


Em relação à Cagece, o representante do sindicato diz que não vê medidas concretas sendo tomadas contra a empresa. “O posicionamento é sempre dizer que está tratando da situação, que vai punir. Mas concretamente não vemos a empresa receber nenhuma punição”, diz. A Cagece, conforme o sindicato, estaria repassando a verba para pagamento dos trabalhadores de forma antecipada, mas o salário segue caindo com atraso.


“Todo o mês é a mesma situação. Em fevereiro, nós precisamos paralisar funcionários de Quixadá e Fortaleza para que o pagamento fosse realizado. Fica essa insegurança de como será o próximo mês”, lamenta. A ideia da entidade, que deve ser discutida em audiência com o Ministério Público conforme Josenias, é que o pagamento seja feito pela Cagece diretamente para a conta dos trabalhadores. 


O Seeacon-CE disse, em nota, que continuará acompanhando o caso detalhadamente e tomará medidas judiciais cabíveis em prol de uma solução para os trabalhadores e trabalhadoras. Segundo Josenias, o sindicato está coletando provas para ingressar com uma ação judicial contra a empresa terceirizada e a Cagece.


Por meio de nota, Karran Ávila, advogado da empresa Somos Capital Humano, responsável pelo pagamento dos funcionários, disse que somente parte dos funcionários que prestam serviços à Cagece tiveram salários atrasados por questões burocráticas, que já foram sanadas e não ocorrerão novamente. Ele negou que o atraso do pagamento tenha sido superior a três dias e garantiu que todos os salários e outros benefícios trabalhistas já estão integralmente quitados.


"A empresa se coloca à disposição de todos os colaboradores para eventuais dúvidas e esclarecimentos que se façam necessários, estando sempre à disposição através de seus canais de atendimento, inclusive de nosso aplicativo próprio 'Grupo Somos'", disse a empresa em nota.


Em nota, a Cagece informou que está regularizada a situação do salário dos colaboradores terceirizados contratados pela empresa Somos Capital Humano. A Companhia disse também que "notificou a prestadora de serviços pelo atraso e que o setor jurídico da empresa segue acompanhando a atuação das empresas prestadoras de serviço para a Cagece".

(O POVO)

 

Nenhum comentário: