segunda-feira, 15 de novembro de 2021

Nem tudo está perdido, Bolsonaro ainda pode se filiar ao PL, desde que o partido não flerte com a esquerda

 

Segundo Bolsonaro, a conclusão das conversas somente irá adiante se o PL desistir de apoiar partidos de adversários políticos dele - (Foto: reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (15/11) que existe a possibilidade de ingressar em outro partido do Centrão, mas que ainda terá uma conversa cara a cara com Valdemar da Costa Neto. Bolsonaro relatou manter ainda conversas paralelas e que segue vivo o interesse do Progressistas e do Republicanos em filiá-lo. O presidente indicou estar disposto a esperar “pouquíssimas semanas” para concluir as negociações com o PL.

 

“Eu tenho um limite. Espero, em pouquíssimas semanas, duas ou três no máximo, casar ou desfazer o noivado. Mas acho que tem tudo para a gente se casar e ser feliz”, disse o presidente, durante entrevista na Expo Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

 

Segundo Bolsonaro, a conclusão das conversas somente irá adiante se o PL desistir de apoiar partidos de adversários políticos dele, principalmente na esquerda, e de participar de palanques estaduais que possam beneficiar rivais como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e João Doria (PSDB).

 

Nosso partido não pode estar flertando com a esquerda num ou outro Estado, se resolvermos isso aí eu assino essa filiação que me satisfaz e satisfaz em grande parte o nosso eleitorado, que quer a continuidade da minha política”, afirmou o presidente.

 

“Tem alguns Estados que para mim, a possível reeleição, se eu vier candidato, são vitais, como São Paulo. Ele (Valdemar) tem um compromisso com um candidato que vai apoiar o atual governador (Doria) se ele tiver o espaço lá no partido dele (para concorrer a presidente),” enfatiza Bolsonaro.

 

Além do imblóglio paulista, no Nordeste, o PL também tem alianças que esbarram nos planos de Bolsonaro. No Piauí, o partido está aliado ao governador Wellington Dias (PT). Na Bahia, embora o PL planeje se aliar a ACM Neto (DEM) para o governo estadual, há ainda uma ala do partido que mantém proximidade com o governador Rui Costa (PT).

 

Segundo o deputado José Rocha (PL-BA), que já foi líder do partido e vice-líder do governo, não existe rompimento de Bolsonaro com o partido e ainda há chance de haver acordo para a filiação. “O Valdemar disse que está tudo acertado, combinado, que vamos nos sentar, conversar. Não ficou nada estremecido, não”, afirmou.

*Estadão

Nenhum comentário: