segunda-feira, 4 de julho de 2022

Jijoca de Jericoacoara é destaque em Gestão no Anuário do Ceará 2022

 

A avaliação do IGCM aponta 14 indicadores (Foto: reprodução)

O município de Jijoca de Jericoacoara foi destaque no Índice Comparativo de Gestão Municipal (ICGM). Esta avaliação é feita pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), publicada no Anuário do Ceará 2022-2023.

 

“É uma grande honra seguir avançando na qualidade da gestão do nosso município, projetos como esse reforçam nosso árduo trabalho ao longo destes anos e alimentam o estímulo de continuar no caminho certo.” ressaltou o prefeito Lindbergh Martins.

 

No momento foi levado em consideração o desempenho das gestões dos 184 municípios cearenses. Estes que são divididos em quatro grupos populacionais: grupo 1 corresponde às cidades com mais de 100 mil habitantes; grupo 2 entre 50 mil e 100 mil; grupo 3 entre 20 mil e 50 mil; e grupo 4 com até 20 mil. Foram consideradas quatro dimensões: Planejamento, Recursos Financeiros, Serviços e Transparência, com base em dados recolhidos no ano de 2020.

 

A avaliação do IGCM aponta 14 indicadores: planejamento da despesa, captação de recursos, restos a pagar, independência tributária, complexidade tributária, despesa de pessoal, investimentos, gasto com pessoal pela receita corrente líquida, gasto com saúde pela receita corrente líquida, gasto com educação pela receita corrente líquida, índice de qualidade da educação, índice de qualidade da saúde, índice de qualidade do meio ambiente e indicador de transparência.

 

O Anuário define o ICGM como uma iniciativa que serve de subsídio para a gestão pública, além de promover uma competitividade saudável entre os municípios, estimulando uma agregação entre Governo e sociedade civil.


Via Ceará Noticias

Justiça proíbe TV Globo e Record de divulgarem informações sobre caso do Luva de Pedreiro

 

Em seu perfil no Instagram, Allan Jesus divulgou um comunicado após a exibição das reportagens, criticando o “deescaso” da Globo com a liminar. Foto: Reprodução/ Instagram

A juíza Maria Cristina de Brito Lima, do Rio de Janeiro, impediu a veiculação de informações sobre a polêmica entre Luva de Pedreiro (Iran Ferreira), e Allan Jesus, ex-empresário do influenciador, no Fantástico, da TV Globo, e no Domingo Espetacular, na Rede Record. A liminar concedida ao ex-agente do influencer esportista proíbe as emissora de divulgarem informações sigilosas do contrato entre os dois ou faça qualquer manifestação que fomente discurso de ódio contra Allan.

 

As duas reportagens foram ao ar neste domingo (04/07), com edições após a decisão na primeira instância. A apresentadora Poliana Brito, da Globo, informou que a emissora foi notificada sobre a liminar na última sexta-feira (02/07), portanto, antes de a reportagem ser divulgada, e ressaltou que a TV Globo não compactua com discurso de ódio. Isso porque usuários da internet têm feito ameaças contra a vida de Allan e de sua família.

 

A Globo também lembrou que ameaças são inaceitáveis a qualquer um e quem as pratica está sujeito às consequências legais. A emissora pontuou ainda que as divergências sobre questões contratuais devem ser decididas pelo Poder Judiciário, responsável pela aplicação da lei para as relações entre as partes.

 

“O jornalismo apura – com isenção – todos os lados da notícia e produz conhecimento sobre os fatos. E é direito da sociedade ter acesso a todos os acontecimentos relevantes”, comunicou. E reforçou: “A TV Globo entende que a liminar concedida viola a liberdade de imprensa e de expressão, pilares da Democracia e protegidas pela Constituição brasileira. Por isso, vai recorrer da decisão.” A Record também deve contestar a proibição. Ambas devem divulgar as informações do Luva de Pedreiro caso a liminar seja derrubada.

 

A reportagem do Fantástico mostrou a trajetória de Iran Ferreira. O repórter Maurício Ferraz foi a Recife e gravou ao longo da última semana com o Luva, familiares e os novos empresários dele, entre eles Falcão, lenda do futsal. Na conversa, Iran afirmou que não tinha noção dos detalhes do contrato que assinou porque nem ele nem a família sabem ler.

 

No Instagram, Luva lamentou a decisão. “Estão tentando me calar. Quem sofreu fui eu. Quem está com medo é porque deve. Vamos ter fé em Deus porque vamos chegar lá.”  Falcão, agora responsável pela carreira do influenciador, também publicou Stories criticando a decisão da Justiça. “Eu não sou um cara ‘incalável’, eu sou ‘falável'”, reagiu Iran em uma sequências de vídeos.

 

Luva de Pedreiro x Allan Jesus: entenda o caso

O mês de junho foi complicado na relação entre Luva de Pedreiro e o agora seu ex-empresário Allan Jesus. As duas partes estão em conflito por questões financeiras. No dia 20 de junho, Iran Ferreira, com mais de 15 milhões de seguidores no Instagram, anunciou que iria paralisar a produção dos vídeos. Ele não estaria sendo pago.

 

Com cerca de 30 milhões de seguidores nas redes sociais, Luva de Pedreiro terminou a relação com o empresário Allan Jesus após ambos entrarem em rota de colisão por questões financeiras. Apesar de ter fechado acordos milionários, com empresas como a Amazon e a Pepsi, o influenciador teria na conta corrente somente R$ 7,5 mil. O agente negou irregularidades e afirmou que alguns pagamentos a seu cliente estão programados para o mês de julho e que o montante a ser recebido chegaria a R$ 2 milhões.

 

Allan Jesus anunciou recentemente que contratou uma perícia para auditar recibos e notas bancárias do que foi investido na parceria com o influenciador, com quem sua empresa possui contrato até 2026. Segundo ele, cerca de R$ 200 mil foram gastos com “despesas do projeto e despesas pessoais do próprio Iran”. A empresa de Allan, a ASJ Consultoria, afirma ainda que a rescisão com o influenciador não foi comunicada formalmente. “A única coisa que temos são indícios espalhados pela internet de um suposto novo agenciamento, o que poderia configurar quebra de exclusividade”, informou em nota.

 

Como Luva de Pedreiro ficou famoso e ganhou o mundo?

Natural de Quijingue, pequena cidade de 27 mil habitantes a 320 quilômetros de Salvador, na Bahia, Iran Ferreira ganhou destaque nas redes com vídeos publicados no Instagram e no Tik Tok. Em um campo de várzea, ele mostra a sua habilidade com chutes no ângulo, seguido do bordão “receba!”.

 

Autointitulado Luva de Pedreiro – adereço que começou a usar para imitar os jogadores se protegendo do frio no inverno europeu -, os vídeos do jovem rapidamente viralizaram pelo mundo da bola. Neymar, jogadores do Bayern de Munique, Nenê (Vasco) e até o filho de Cristiano Ronaldo já reverenciavam o talento do baiano, que é o influenciador de futebol mais seguido no Instagram (14 milhões).

 

De lá para cá, Iran Ferreira passou a crescer cada vez mais nas redes e a ser chamado para eventos: teve a oportunidade de assistir à seleção brasileira jogar no Maracanã, andou de avião pela primeira vez, viu a final da Liga dos Campeões entre Real Madrid e Liverpool e lançou uma linha de roupas casuais.

 

 

 

Marina Silva desiste de ser vice de Haddad e lança pré-candidatura a deputada federal

 

Haddad disse que era motivo de orgulho para os paulistas contar com Marina Silva na Câmara dos Deputados (Foto: reprodução/redes sociais)

A ex-ministra do Marina Silva desiste da vice na chapa de Fernando Haddad (PT) ao Governo de São Paulo.

 

No último sábado, 2, Marina lançou sua pré-candidatura a deputado federal pela Rede. Esteve presente o pré-candidato Fernando Haddad e Além parlamentares paulistas. Na ocasião, a ex-ministra não declarou apoio ao pré-candidato Lula à Presidência da República.

 

Haddad disse que era motivo de orgulho para os paulistas contar com Marina Silva na Câmara dos Deputados.


Governadora Izolda anuncia redução do ICMS nos combustíveis do Ceará

 

No Ceará, o cálculo do ICMS sobre o diesel era feito como se o combustível custasse R$ 4,103. 

A governadora Izolda Cela divulgou nesta nesta segunda-feira, 4, que em reunião com a Procuradoria Geral do Estado e a Secretaria da Fazenda determinou a aplicação da Lei sobre o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nos combustíveis do Ceará. “Em reunião com PGE e Sefaz determinei a aplicação da Lei sobre o ICMS dos combustíveis no Ceará. Continuaremos lutando para que o Estado não perca recursos para a educação, saúde, segurança e programas sociais. Só os mais pobres são prejudicados”, detalhou.


No Ceará, o cálculo do ICMS sobre o diesel era feito como se o combustível custasse R$ 4,103. Aqui, as alíquotas variam de 18% a 30%, mas a secretária da Fazenda do Estado (Sefaz-CE), Fernanda Pacobahyba, criticou o PLP. “É o maior golpe na Federação”, disse recentemente a secretária ao mostrar que o Ceará perderá, no mínimo, R$ 2,1 bilhões nos primeiros seis meses. Sobre o ICMS, é preciso trazer a Petrobras para o debate. Existem alternativas que podem ser implementadas”, destacou.

Consumidores cearenses já vivem na expectativa dos preços mais baixos

Os consumidores cearenses têm notado uma pequena redução no preço dos combustíveis nos postos da cidade, principalmente da gasolina, cujo litro está sendo comercializado abaixo de R$ 7 em grande parte dos estabelecimentos, chegando a formar filas de carro. O movimento de queda, mesmo o Ceará não tendo previsão de quando ou se irá reduzir a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), decisão já tomada por diferentes estados, cria expectativa nos cearenses por reduções mais significativas nos próximos dias.


domingo, 3 de julho de 2022

Santa Casa de Sobral confirma para o dia 6 a paralização de suas atividades

 

O complexo alega que no primeiro quadrimestre deste ano, deixaram de receber R$ 2,9 milhões referentes aos atendimentos e que há um prejuízo mensal imposto pelo Poder Público de R$ 2,5 milhões (Foto: Reprodução/Sobral Agora)

A Santa Casa de Misericórdia de Sobral divulgou, nesta quarta-feira, 29, uma nota em que anuncia uma crise financeira na instituição e uma eminente paralisação dos atendimentos ao público na próxima semana, dia 6 de julho. A unidade de saúde atende mais de 54 municípios da Região Norte do Ceará, com uma população composta por aproximadamente 1,8 milhão de pessoas.


Um documento divulgado pela Santa Casa na última semana afirma que a unidade teria perdido um valor milionário nos últimos anos.


Isso teria acontecido devido a "descontos extremamente injustos nos incentivos federais destinados ao custeio do serviço prestado" e com a "exigência de metas impraticáveis e, consequentemente, coma diminuição nas verbas que lhe pertencem e que são essenciais para a sua manutenção".


"A instituição está vivenciando uma situação emergencial, correndo o risco, infelizmente, de não renovar a prestação de serviços públicos se não for remunerada adequadamente, paralisando suas atividades na próxima quarta-feira (06/07) por encerramento do aditivo contratual com a Gestão Municipal de Sobral", diz o comunicado, que ainda reforça a busca por diálogo para continuar com as assistências. 


A publicação foi vista pelo prefeito de Sobral como falsa e de cunho eleitoral.


"Ao povo de Sobral e da zona norte: Tenho sido perguntado a respeito de boatos, mais uma vez em período eleitoral, acerca de eventual paralisação de serviços da Santa Casa de Sobral. Deixe-me dizer algo definitivo: isso jamais vai acontecer", escreveu Ivo Gomes, nas redes sociais. 

 

Entenda o embate em Sobral


O município de Sobral é cenário de um constante embate entre o prefeito Ivo Gomes e o bispo do município, Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos, que comanda a Santa Casa.


O pedetista acusa o líder religioso de articulação política com Capitão Wagner para prejudicá-lo.


Em março de 2021, o prefeito sobralense foi acusado por Wagner de criar "leitos fantasmas" e não destinar o montante de R$ 4,3 milhões enviado pelo Governo Federal para a saúde da cidade.


Em reação, Ivo acusou o bispo da Igreja Católica da cidade de envolvimento em "bandalheiras" na Santa Casa.


Além disso, o prefeito disse que o religioso seria um "bolsonarista" com "concluio com o que há de pior na política cearense". As palavras foram inseridas em publicação nas redes sociais.


Logo depois, membros do Clero de Sobral divulgaram uma nota em defesa da Diocese do município e da Santa Casa.


Nove padres assinaram uma nota em resposta à polêmica. Apesar de não fazer menção direta a Ivo Gomes, a mensagem foi bastante clara.


"Uma história séria como a nossa, precisa ser tratada com respeito e seriedade!", afirmaram em documento.


Confira na íntegra 

"Desde a sua fundação há 97 anos, a Santa Casa de Misericórdia de Sobral sempre teve como missão prestar assistência à população, sendo um hospital filantrópico que presta 100% dos seus serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS) e é porta aberta para traumatologia, neurocirurgia e obstetrícia de alto risco. De acordo com dados oficiais do Ministério da Saúde, a Instituição é a maior prestadora de serviços de saúde do Estado do Ceará, atendendo a mais de 54 municípios da Região Norte do Estado, com uma população composta por aproximadamente 1,8 milhão de pessoas. 

Nos últimos anos, a Santa Casa de Misericórdia de Sobral vem sofrendo descontos extremamente injustos nos incentivos federais destinados ao custeio do serviço prestado pela Instituição. Existe uma contratualização firmada entre a Santa Casa e Prefeitura de Sobral para fiscalização e recebimento dos incentivos, na qual o município exige o cumprimento de metas superiores à série histórica de produção em média complexidade do hospital sem incrementar recursos para tanto. 

A Instituição sofre com a exigência de metas impraticáveis e, consequentemente, com o desconto nas verbas que lhe pertencem e que são essenciais para a sua manutenção. Somente no primeiro quadrimestre deste ano, a Santa Casa deixou de receber R$ 2.957.863,74 (dois milhões, novecentos e cinquenta e sete mil, oitocentos e sessenta e três reais e setenta e quatro centavos). Da mesma forma no ano de 2021 em que deixou de receber o montante de R$ 6.798.746,42 (seis milhões, setecentos e noventa e oito mil, setecentos e quarenta e seis reais e quarenta e dois centavos) referentes aos atendimentos SUS dos meses de janeiro a abril. Ainda há o valor de R$ 1.259.496,28 (um milhão, duzentos e cinquenta e nove mil, quatrocentos e noventa e seis reais e vinte e oito centavos) referente aos dez novos leitos de UTI Adulto da Santa Casa que também não foram repassados à Instituição entre os meses de janeiro a maio de 2022. 

A crise não termina aí. Além da falta de apoio financeiro por parte da gestão municipal, ainda há a superlotação, a crescente inflação na saúde e os aumentos dos custos em razão da pandemia. A tabela SUS cobre, em média, 60% dos custos efetivos dos procedimentos realizados e não é atualizada monetariamente há mais de duas décadas. 

Para se ter uma ideia, um exame de ultrassonografia tem um custo médio no país de R$ 130 (cento e trinta reais), mas, pela tabela SUS, o valor do procedimento é ainda de R$ 37,95 (trinta e sete reais e noventa e cinco centavos). Para uma diária de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) são cobertos com recursos do SUS R$ 580 (quinhentos e oitenta reais), quando a despesa real é estimada em R$ 2,8 mil (dois mil e oitocentos reais). A diferença entre o que é pago pelo SUS e o que o procedimento custa de fato causa déficit todos os anos à Instituição. Atualmente o prejuízo mensal imposto pelo Poder Público à Santa Casa de Misericórdia de Sobral é da ordem de R$ 2.500.000,00 (dois milhões e quinhentos mil reais). 

A saúde pública é um direito de todos e dever do Estado. A Santa Casa de Misericórdia de Sobral neste contexto assumiu também a missão de cuidar da população de forma gratuita por meio do SUS diante da contratação pelo Poder Público. Todavia, a Instituição está vivenciando uma situação emergencial, correndo o risco, infelizmente, de não renovar a prestação de serviços públicos se não for remunerada adequadamente, paralisando suas atividades na próxima quarta-feira (06/07) por encerramento do aditivo contratual com a Gestão Municipal de Sobral. 

Reiteramos que estamos buscando diálogos e alternativas para continuar prestando assistência em saúde à população da Região Norte."

 


Chinesa Higer planeja ônibus elétrico na América Latina; no Ceará, entra com montadora no Pecém

 

A fabricante chinesa montou um plano de negócios para ganhar as ruas do Brasil e fazer do país a porta de entrada para os vizinhos das Américas do Sul e Central, como Peru e Colômbia (Foto: reprodução)

A chinesa Higer enviou ao Qatar, país sede da próxima Copa do Mundo, 1,8 mil ônibus elétricos para o transporte dos torcedores das 32 equipes classificadas. No Brasil, os programas de eletrificação da frota de ônibus urbanos devem avançar principalmente na capital paulista.

 

A fabricante chinesa montou um plano de negócios para ganhar as ruas do Brasil e fazer do país a porta de entrada para os vizinhos das Américas do Sul e Central, como Peru e Colômbia. Ela pretende disputar um jogo que tem como favoritas as grandes marcas que dominam o mercado brasileiro, algumas há mais de 60 anos rodando no país.

 

Jovem quando comparada aos seus concorrentes, principalmente os europeus, a Higer nasceu em 1998 e hoje tem quatro fábricas na China, que alcançaram faturamento de US$ 5,5 bilhões no ano passado. “Temos 50 mil ônibus elétricos rodando, a maior parte na China. Mas também na Europa”, afirma Marcelo Barella, diretor para América Latina da Higer. No Brasil, os chineses vão atuar pela TEVx Motors, que será a importadora e distribuidora dos veículos.

 

A Higer montou um plano de negócios no qual os operadores do sistema de transporte, sejam privados ou públicos, não vão precisar comprar os veículos nem se preocupar com a infraestrutura de carregamento. Tudo será alugado. O ônibus elétrico é 2,5 vezes mais caro quando comparado ao movido a diesel. “Um ônibus a combustão fica em torno de R$ 900 mil. O elétrico chega a R$ 2,6 milhões”, diz Barella.

 

Para disputar o fornecimento de ônibus elétricos em São Paulo, o maior mercado, ela fechou acordo com a companhia italiana de energia elétrica Enel. A elétrica tem a concessão de distribuição na capital paulista e mais 22 municípios na região metropolitana.

 

É a Enel que vai disputar a licitação ou concorrência para fornecimento dos veículos. Caso vença, a comoanhia compra os veículos da Higer, monta a estrutura de carregamento e aluga todo o pacote para os operadores. A Higer fica responsável pela manutenção dos ônibus e treinamento dos motoristas. Inclusive com pessoal próprio dentro das garagens dos operadores.

 

“O sistema de aluguel permite que a troca da frota seja feita o mais rapidamente possível. Se o operador tivesse de comprar um ônibus elétrico, não sei se conseguiria o crédito para isso”, avalia Barella. Ele lembra que São Paulo tem frota de 14 mil ônibus e planeja chegar em 2028 com 12 mil deles movidos à eletricidade. Desse total, 2,6 mil até 2024, sendo 600 unidades entre 2022 e 2023.

 

A Higer investiu US$ 10 milhões para adaptar os ônibus às normas brasileiras. “Temos todo o ferramental pronto. Se eu tiver uma encomenda de mil ônibus, tenho condições de atender.”

 

Se os planos da Higer caminharem como esperado, a empresa estimar ter 300 funcionários em 2023 e atingir 500 em 2024. Seriam de oito a dez funcionários em cada garagem.

 

Movidos a bateria, a princípio os veículos serão importados inteiros, mas a empresa negocia com o governo do Ceará uma área em Pecém para instalar sua linha de montagem, com investimento estimado de US$ 20 milhões. Com a unidade local, a ideia é importar os ônibus em sistema de PKD (Partial Knock-Down). “A estrutura do carro vem pronta e aqui colocamos vidros, assentos e motor”, conta.

 

Em um segundo momento, seria adotado o SKD (Semi Knock-Down), com maior valor agregado local. Barella explica que boa parte dos fornecedores da montadora na China já estão no Brasil e poderiam atender as necessidades da Higer no Ceará. São fornecedores globais como Siemens e Dana, para motores; ZF para suspensão; Bosch para caixas de direção; ou Wabco para freios. As baterias são da CATL, que fechou acordo com a fabricante brasileira de baterias Moura para serviços de pós-venda. A unidade cearense também será a base de exportação para a região.

 

A escolha do Ceará revela o próximo passo da estratégia da montadora para o Brasil: os ônibus a hidrogênio. O Estado tem grande oferta de energia limpa e promessa de vários projetos para produção de hidrogênio verde no médio prazo. A Higer já tem 400 ônibus a hidrogênio rodando na China. Mas para o Brasil se trata de um projeto de mais longo prazo.

(O Intrigante)




sábado, 2 de julho de 2022

Capitão Wagner sobre o candidato do PDT: “a gente não tá preocupado com quem vem de lá pra cá”

 

De acordo com o pré-candidato do União Brasil, o grupo político ainda pretende realizar mais  seis encontros regionais até 30 de julho.

O pré-candidato ao governo do Estado, deputado federal licenciado Capitão Wagner (União Brasil), disse neste sábado (02/07) na chegada ao município de Santa Quitéria que não está preocupado com o candidato do PDT e sim com o projeto que defende que tem tudo para dar certo.

 

A afirmação de Wagner foi dada ao repórter Thiago Rodrigues, do portal a Voz de Santa Quitéria na sua chegada ao encontro regional do União Brasil no município, que começou com atraso.

 

Wagner disse que chega a Santa Quitéria com uma mensagem de que seu grupo político é diferente e voltou a pontuar que defende a redução de impostos, a redução do ICMS e que tem condição de reduzir a violência no Estado, pontos centrais da sua bandeira de campanha com o objetivo de se diferenciar do pensamento governista.

 

Wagner era aguardado por lideranças políticas da região, a exemplo do ex-prefeito de Santa Quitéria, Tomás Figueiredo e do ex-prefeito de Tamboril Chico Timbó, além de outras lideranças políticas de outros municípios da região.

 

De acordo com o pré-candidato do União Brasil, o grupo político ainda pretende realizar mais  seis encontros regionais até 30 de julho.

 

Capitão Wagner tem aguardado as definições do grupo governista, esperando que em caso de divergências no processo de definição do nome governista possa sobrar algo que some à sua candidatura.