eiro o POVO

sexta-feira, 13 de abril de 2018

GRANJA: AO MENOS 59 FAMÍLIAS DESALOJADAS E CENTENAS DE ESTUDANTES SEM AULAS DEVIDO AS CHUVAS


Uma comitiva da Defesa Civil do Estado está na Zona Norte fazendo o levantamento do impacto social da cheia ( Reprodução / VC Repórter )
Pelo menos 59 famílias estão desalojadas após as fortes chuvas que vêm caindo na cidade de Granja nos últimos dois dias.

O município registrou, na quinta-feira (12), 173 milímetros e um acumulado de 542 mm, em 12 dias - 117% a mais que a média histórica.

Uma comitiva da Defesa Civil do Estado está na Zona Norte fazendo o levantamento do impacto social da cheia e orientando a comissão local para o monitoramento das áreas de risco.

Situação dos estudantes

Na zona rural, 13 escolas estão paralisadas em função do fenômeno climático. De acordo com Tatiana Cassimiro, Secretária de Educação, a sede municipal mantém as aulas normalmente.

Com a cheia do rio Coreaú, a estação de bombas do município foi inundada e houve interrupção de abastecimento. Com o risco de novas precipitações até a próxima terça-feira (17), equipes da Assistência Social estão 24h de plantão. Um reforço de cinco caminhões faz o apoio logístico para remoção dos desalojados.

“Estamos na fase de avaliação de danos para análise da necessidade ou não de decretação (de situação de emergência)”, afirma o coronel Cleyton Bastos, coordenador da Defesa Civil do Estado.

Vilarejos à beira do rio

Um dia após visita da prefeita Amanda Aldigueri ao Palácio da Abolição, uma equipe do órgão está na Zona Norte acompanhando os estragos causado pelas enxurradas. Os mais atingidos estão nos vilarejos que se formaram à beira do rio Coreaú.

Até a tarde desta sexta-feira (13), ao menos 59 famílias tiveram que sair de suas casas e seguir para residência de parentes, o que os coloca na classificação de “desalojados” - desabrigado é o desalojado ou pessoa que necessita de abrigo provido pelo Governo.
DN/Regional



Postar um comentário