sexta-feira, 8 de abril de 2022

As eleições deste ano seguem sem uma Lei específica das Fake News

 

Foto: reprodução

Na quarta-feira, por oito votos apenas, a Câmara dos Deputados não aprovou o pedido de urgência do PL 2630 que trata da Lei das Fake News. O PP e o PL, partidos do presidente da Câmara, Arthur Lira, e do presidente da República, Jair Bolsonaro, votaram em peso contra.

 

Na prática, aqueles oito votos que faltaram querem dizer que o texto terá de fazer o lento trâmite pelas comissões temáticas até ser votado. Não bastasse, como foi muito modificado em relação ao texto já aprovado no Senado, terá de passar por novo voto por lá.

 

Enquanto não se define uma lei específica sobre o combate as Fake News nas redes sociais, a consultoria .Map, fez um levantamento e constatou que o barulho dos influenciadores bolsonaristas alcançou seu melhor resultado nos últimos 13 meses. Com ataques a adversários do presidente, ao STF e em defesa de Daniel Silveira, a bolha bolsonarista fez as menções positivas ao presidente passarem de 55% em março para 72%.

 

Os perfis da direita representaram 43% de cerca de 1,4 milhão de postagens. Em março, a participação desse grupo era de 30%. “A mobilização da direita tenta tirar, nas redes, o foco de denúncias sobre Bolsonaro, como as do MEC”, avalia Marília Stabila, da consultoria



Nenhum comentário: