<>

eiro o POVO

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

CONSÓRCIO NÃO PAGA E EMPRESA CORTA VIGILÂNCIA DAS UPAS DE GRANJA E CAMOCIM


Sem receber há vários meses, a empresa responsável pela vigilância armada das Unidades de Pronto Atendimento 24 Horas das cidades de Granja e Camocim, resolveu suspender o serviço até que a dívida seja paga pelo Consórcio Público de Saúde, presidido desde março de 2017 pelo Prefeito de Martinópole, Júnior Fontenele. Os vigilantes abandonaram seus postos ainda na semana passada.

Segundo a empresa, se a situação persistir, essa semana serão retirados de serviço os vigilantes da Policlínica e do Ceo Regional, em Camocim.

Conforme publicação no Camocim Online, o Consórcio de Saúde está com dívidas acumuladas em relação a quase todos os seus fornecedores. Tem empresa sem receber desde agosto do ano passado. Até o fornecimento de quentinhas está com pagamento em atraso.

Ainda segundo a publicação o Presidente Júnior Fontenele, mesmo com espaço para isso, disponibilizado pelo Camocim Online na primeira matéria sobre tais atrasos, segue sem se manifestar a respeito das dívidas acumuladas em sua gestão, dívidas que agora geraram consequências graves, como a falta de segurança de equipamentos caríssimos, pacientes e servidores em pleno período de carnaval.

Os repasses para a instituição realizar tais pagamentos, segundo consulta do referido blog, estão em dia. "O curioso é que o Presidente Júnior, mesmo sem nos pagar, segue contratando funcionários", disse um fornecedor. 
Informações: Camocim Online


Postar um comentário