<>

eiro o POVO

quinta-feira, 5 de abril de 2018

O POVO FALA! - PREFEITURA DEIXOU DE CONVOCAR APROVADOS EM CONCURSO PARA NOMEAR FUNCIONÁRIOS TEMPORÁRIOS, DENUNCIA CANDIDATO

A prefeitura de Martinópole deixou de convocar aprovados em concurso para nomear funcionários temporários, segundo denúncia feita por um dos aprovados no Concurso 001/2015. A denuncia foi feita no dia 26 de março pelo o senhor Francisco Welves, através do nosso canal cidadão “O POVO FALA!”. O mesmo não pediu sigilo.

Ele disse a produção do Blog, que fez o concurso da Prefeitura de Martinópole, foi aprovado como primeiro classificável, como houve desistência do candidato classificado ele deveria ter sido convocado, porém o prefeito resolveu contratar outra pessoa em vez de nomeá-lo. Confira a denuncia na íntegra:

“Boa noite, estou aqui através do blog para fazer uma denuncia. Tem aprovados no concurso a prioridade teria de ser para nós. Gostaria que você tornasse publico meu caso, porque o prefeito contratou outra pessoa? Estou em busca de resposta, mas ainda continuo sem as mesma, desde já agradeço”, escreveu Welvis.
Antes da publicação desta postagem, tentamos contato com o prefeito da cidade, deixamos mensagens, mas até o fechamento desta postagem não obtivemos retorno.

A produção do Blog consultou a advogada Dra. Larissa Linhares, a mesma tem estado ao lado dos aprovados no concurso e a frente das questões relacionadas ao mesmo.

Ela disse que a partir do momento que o candidato aprovado fica em 1º dos classificáveis cria-se uma mera expectativa de Direito. Ocorre que, o município convocou o 1º classificado, mas este por ventura desistiu e assim o cargo de professor de violão e guitarra ficou vago. Porém, o município ferindo os princípios da administração pública, contrata de maneira irregular uma pessoa para preencher a vaga, sendo que esta teria que ter sido preenchida pelo candidato aprovado Welvis, que ficou em 1º dos classificáveis, que hoje detém de direito líquido e certo.
Relação dos aprovados dentro do número de vagas
Para Larissa o município fere claramente os princípios da legalidade e moralidade, violando direito líquido e certo do denunciante. Diante disso, em março do corrente ano, foi impetrado um Mandado de Segurança, no qual o candidato aprovado busca a tão sonhada nomeação ao cargo de professor de violão e guitarra.

A advogada finaliza afirmando que a justiça é uma só e não colaborará com os atos de arbitrariedade de uma administração pública. “O município vai convocar todos os candidatos aprovados, seja de maneira administrativa ou judicial. Acreditem!”, concluiu Drª. Larissa Linhares.




Postar um comentário