teste

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Justiça manda soltar suspeitos de sonegar cerca de R$ 600 milhões no Ceará


Serão cumpridos cerca de 10 mandados de prisão e 18 de busca e apreensão ao longo da operação. — Foto: Foto: Lorena Tavares
Após pouco mais de 24 horas da prisão, 10 suspeitos presos na Operação Aluminium, realizada nessa terça-feira (16) pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), devem ser soltos. A operação identificou empresas de fachada que movimentaram cerca de R$ 5 bilhões no ramo de indústrias de transformação de alumínio e sonegaram mais de R$ 600 milhões em quatro anos.

O magistrado da Vara de Delitos de Organização Criminosa do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) decidiu nesta quarta-feira (17) pela revogação da prisão temporária dos detidos.

O grupo é suspeito de estar envolvido em um esquema criminoso milionário de sonegação responsável por deixar rombo nos cofres públicos do Estado do Ceará e da União.

A defesa de Geraldo Silva, representada pelos advogados Bruno Queiroz Oliveira e Ivan Barros Leal, destacou: "Em relação ao Geraldo a defesa afirma que ele não tem nenhuma participação nas empresas de fachada que emitiam notas para gerar crédito. Ele teve atitude colaborativa de prestar informações, de modo que a prisão é absolutamente desnecessária. Vamos ter acesso aos outros elementos de prova para depois se manifestar de maneira mais conclusiva", disseram.
Policiais cumprem mandados em operação contra sonegação fiscal — Foto: Lorena / Sistema Verdes Mares

 Conforme decisão obtida pelo G1, o MPCE pediu pela soltura do grupo "porque a prisão já atingiu sua finalidade em razão de que as pessoas retro citadas já foram ouvidas, bem como cumpridos os mandados de busca e apreensão. não havendo mais nenhuma diligência a ser feita".

Imóveis e carros de luxo 

O grupo vinha adquirindo imóveis e veículos de luxo com o montante sonegado.

A secretária da Fazenda do Ceará, Fernanda Mara Pacobahyba, afirmou que "sonegação fiscal no Brasil é nove vezes maior que a corrupção. Essa organização tinha poder muito forte de fraudar o fisco".

A ação é realizada pelo MPCE com o apoio das polícias Civil e Militar, além de fiscais da Receita Federal. De acordo com o órgão, "esta pode ser a maior operação contra sonegação fiscal já ocorrida no Ceará"
*G1CE





Nenhum comentário: