teste

sexta-feira, 3 de maio de 2019

Jijoca de Jericoacoara gera empregos com turismo e preservação da natureza


Por: Amanda Maia
Vila_Jericoacoara_Panrotas_Divulgação
Como bom Município turístico, Jijoca de Jericoacoara, no Ceará, recebe mais visitantes que o número da população. Estima-se que, por ano, passem 600 mil turistas pela cidade de 19.587 habitantes para chegar às praias e aos atrativos da vila de Jericoacoara, onde moram apenas 3 mil pessoas.

Desde que o Município foi emancipado, em 1991, os gestores precisam lidar com as incertezas do emprego temporário e conciliar o aumento da atividade turística com a preservação do meio ambiente. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) apresenta a terceira boa prática de crescimento econômico e geração de emprego – no caso cearense, ligados ao turismo.

Entre janeiro e dezembro de 2018, Jijoca registrou 1.967 contratações e 1.535 demissões em 1.020 estabelecimentos, o que representa um saldo de 432 vagas. Camareiro de hotel (245), auxiliar nos serviços de alimentação (210), trabalhador da manutenção de edificações (63) e garçom (155) são as ocupações que mais contrataram, prova de que o setor gira a economia local, com a demanda dos restaurantes e da construção civil.
Centro comercial de Jijoca de Jericoacoara_PMJJ_divulgação
Comunidade, setor público e privado

A consolidação como destino nacional e internacional foi aos poucos. Depois de Jericoacoara se tornar Área de Proteção Ambiental, em 1984, o difícil acesso, o isolamento da área urbana de Jijoca e a preservação da natureza se tornaram diferenciais. Somente em 1998, a energia elétrica chegou à aldeia, que, mesmo com a multiplicação do comércio, de hotéis e pousadas mais estruturadas e caras, conseguiu manter as características de vila.

Visitantes e moradores garantem que a comunidade, com os setores públicos e privados, contorna problemas do grande fluxo de pessoas, como manejo de lixo, tráfico de drogas, violência, informalidade e desigualdade social. Por ser uma vila pequena, todos se conhecem, indicam e valorizam o trabalho do outro, ao mesmo tempo em que estão atentos e reprimem situações que podem prejudicar o turismo. Os preços em barracas, passeios e transfers são tabelados.

Jericoacoara_Igaratur_Divulgação
No Mapa do Turismo Brasileiro, Jijoca está entre os 57 Municípios da categoria A. E a lista de títulos e premiações é extensa. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente, Ricardo Gusso Wagner, esteve em Fortaleza nesta semana para receber do Sebrae o prêmio regional de Inovação e Sustentabilidade pelo projeto Amamos e Reciclamos, da usina de reciclagem de Jericoacoara.

“Em dois anos e quatro meses, aumentamos em 600% a quantidade de material recolhido. Fomos de 11 toneladas por mês para 66 toneladas. No ano passado, ganhamos o prêmio Praia limpa, do governo do Estado; fomos escolhidos pela Forbes como um dos cinco destinos para visitar em 2018; e, segundo a Trip Advisor, somos o primeiro da América Latina e o terceiro do mundo em aumento de demanda”, lista o secretário.

Além de buscar a certificação internacional Praia bandeira Azul, que mede, entre vários fatores, a qualidade da água, eles esperam aumentar o fluxo de estrangeiros com os voos internacionais no aeroporto de Jericoacoara – atualmente, os turistas vêm de Fortaleza, a 300 km. Mudança recente que trouxe impacto positivo foi a cobrança da Taxa de Turismo Sustentável (TTS) de R$ 5 por dia. Os R$ 4 milhões arrecadados por ano são revertidos para a Vila de Jericoacoara (70%) e para a infraestrutura da sede de Jijoca (30%).
Informações via  Agência CNM de Notícias





Nenhum comentário: