teste

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Tá na Mídia: Facebook derruba rede de perfis falsos ligada a funcionários dos gabinetes da família Bolsonaro

Muitas páginas do conjunto foram dedicadas à publicação de memes e conteúdo pró-Bolsonaro enquanto atacavam rivais políticos - Foto: reprodução

A investigação que levou o Facebook a derrubar páginas ligadas a uma rede de fake news e perfis falsos identificou,Tercio Arnaud Tomaz como um dos responsáveis por alguns dos perfis. Trata-se do assessor especial da Presidência, que despacha diariamente no 3o. andar do Palácio do Planalto, em uma sala a poucos passos do gabinete do presidente Jair Bolsonaro.

Ao lado de José Matheus Salles Gomes e Mateus Matos Diniz, também assessores da Presidência, Tercio integra o chamado “gabinete do ódio”, grupo coordenado pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho “02” do presidente. A existência do núcleo dentro do Palácio do Planalto foi revelado pelo Estadão no ano passado.

O nome de Tercio consta na investigação feita por especialistas do Digital Forensic Research Lab (DRFLab), grupo ligado ao Atlantic Council, instituição que realiza análise independente de dados do Facebook.

O relatório da DRFLab aponta que Tercio administrava páginas e contas com conteúdo de ataques a adversários políticos do governo, em muitos casos com conteúdo considerado “enganoso” e que mistura “meias-verdades para chegar a conclusões falsas”. A ele são atribuídos perfis como “Bolsonaro Oppressor 2.0”, que chegou a ter um milhão de seguidores, mas saiu do ar, e a BolsonaroNewsss.

“Muitas páginas do conjunto foram dedicadas à publicação de memes e conteúdo pró-Bolsonaro enquanto atacavam rivais políticos. Uma dessas páginas foi a página do Instagram @bolsonaronewsss. A página é anônima, mas as informações de registro encontradas no código fonte confirmam que pertence ao Tércio Arnaud”, diz trecho do relatório DRFLab.

Em agosto do ano passado, Bolsonaro compartilhou, pelo Facebook, uma publicação que chama o procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato, de “esquerdista estilo PSOL”. O link divulgado pelo presidente redirecionava a página para um post do perfil “Bolsonaro Opressor 2.0”, atribuído a Tercio.
*AE


Nenhum comentário: