teste

quarta-feira, 11 de novembro de 2020

A Anvisa acaba de autorizar a retomada do estudo clínico relacionado à vacina Coronavac.

 

Foto: Divulgação/Instituto Butantan


A agência reguladora voltou a dizer que a decisão de paralisar os testes, na noite da última terça-feira, foi “medida de caráter exclusivamente técnico” e “levou em consideração os dados que eram de conhecimento até aquele momento”.

Jair Bolsonaro chegou a comemorar a suspensão dos estudos, falando em “derrota” da vacina que tem parceria com o Instituto Butantan e o governo de São Paulo. O “evento adverso grave” que ocorreu em um dos voluntários foi suicídio.

 

Ao anunciar a retomada dos estudos, a Anvisa afirmou “o princípio da precaução prevê a prudência”.

 

“Após avaliar os novos dados apresentados pelo patrocinador depois da suspensão do estudo, a Anvisa entende que tem subsídios suficientes para permitir a retomada da vacinação e segue acompanhando a investigação do desfecho do caso para que seja definida a possível relação de causalidade entre o evento adverso grave inesperado e a vacina.”

A agência disse, ainda, que “uma suspensão não significa necessariamente que o produto sob investigação não tenha qualidade, segurança ou eficácia”.

 

“A suspensão e retomada de estudos clínicos são eventos comuns em pesquisa clínica.”

 

Por fim, a Anvisa afirmou que “assegura mais uma vez o compromisso com a população brasileira de atestar a qualidade dos dados dos estudos clínicos e a segurança dos voluntários, conferindo também o máximo de celeridade ao processo”.

(O Antagonista)

Nenhum comentário: