quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Jovem abordado por PMs em Granja foi morto por 'asfixia mecânica', conclui laudo pericial

Antonio José morreu por asfixia mecânica decorrente de obstrução das vias respiratória 

O laudo cadavérico da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) apontou que Antonio José da Costa, de 23 anos, foi morto por "asfixia mecânica” decorrente de obstrução das vias respiratória por aspiração a meio liquido-pastoso contendo restos de alimentos (vômito).

Foram encontradas lesões corporais de natureza traumática superficial por ação contundente, edema e equimose (manchas avermelhadas) no tórax, adormem, quadril á direita e pálpebra superior do olho esquerdo, hemorragia nas conjuntivas oculares e escoriações semicircunferências em ambos os punhos, pequenas escoriações nos cotovelos, ombro esquerdo e região posterior, contudo estas lesões não foram a causa da morte.

Parecer - (imagem: captura de tela)

O exame também aponta que não houve lesões como escoriações, sulcos ou equimoses (manchas) externas no pescoço de Antonio, como também não existem escoriações do tipo arrastamento na superfície corporal.

Ainda conforme o documento, está descartada a possibilidade de afogamento, enforcamento, esganadura e estrangulamento, permanecendo a causa da morte por sufocação, quando houve aspiração em meio liquido pastoso revelado pela presença de vômitos com obstrução parcial    das vias aéreas respiratórias.

Foram encontradas lesões corporais de natureza traumática superficial (Laudo Pericial) 

O laudo confirma a versão dos familiares de Antônio José, que o mesmo havia sido torturado antes de falecer.


 Entenda mais


Conforme denúncia da família, Antonio José da Costa, de 23 anos, foi torturado por policiais militares e morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade de Granja, localizada a 328 Km de Fortaleza.

De acordo com uma familiar, os policiais detiveram Antônio em um bar, na tarde do dia 29 de janeiro de 2020, na localidade de Timonha, zona rural de Granja. Ele teria sido levado para interrogatório na própria casa, localizada ao lado do estabelecimento comercial. Vizinhos dizem ter escutado gritos e sons do que parecia ser uma pessoa se afogando.

Familiares disseram que a casa de Antônio foi encontrada revirada e suja de vômito e de sangue. Para os parentes, não havia motivações para a abordagem. “Estou aqui em nome da família. A gente quer Justiça”, conclui a familiar.

Com informações o POVO e G1/CE

 


Nenhum comentário: