domingo, 6 de dezembro de 2020

Tribunal solta empresário preso por fraudes a consignados de servidores públicos do Ceará

 


O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) soltou o empresário Bruno Barbosa Borges, no plantão deste sábado (5). Ele é suspeito de integrar um esquema criminoso que fraudou empréstimos consignados de servidores públicos do Ceará entre 2008 e 2014.

O esquema foi alvo da Operação Onzenário, deflagrada pela Polícia Federal (PF) na última quinta-feira (3). Quatro suspeitos - dois empresários, um contador e um ex-gestor de instituição financeira - foram presos temporariamente.

O TRF-5 soltou o empresário em decisão liminar, em habeas corpus solicitado pelos advogados Waldir Xavier e Sérgio Rebouças. A defesa alegou "desnecessidade e inadequação do decreto prisional". A prisão temporária tinha validade de cinco dias (até a próxima terça-feira, 8), mas podia ser prorrogada pela Justiça.

O outro empresário preso é Luis Antônio Ribeiro Valadares de Sousa, ex-genro do ex-secretário da Casa Civil do Ceará, Arialdo Pinho, que ocupou o cargo durante as supostas fraudes, na gestão Cid Gomes (2008-2014). Hoje, Arialdo é secretário do Turismo do Ceará. A defesa de Luis Antônio não foi localizada.

De acordo com a PF, a empresa comandada pelos dois empresários fraudou uma licitação, em 2008, para administrar os empréstimos consignados dos servidores públicos do Estado. O esquema movimentou cerca de R$ 600 milhões, dos quais R$ 106 milhões foram cobrados indevidamente e desviados.

A Operação Onzenário visava a recuperar esse valor, com o bloqueio e o sequestro de bens. Foram apreendidos veículos de luxo, obras de arte, relógios e dinheiro e bloqueadas contas bancárias dos investigados.

 

A PF apura os crimes de associação criminosa, corrupção, fraude em licitação, crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro. O nome, 'Onzenário', remete à prática de agiotagem ou cobrança extorsiva de juros.

 

(G1CE)

 

 

 

Nenhum comentário: