sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Prefeito Marcelo Mota relata caos financeiro deixado pela gestão do ex-prefeito Pedro Calisto

 

O prefeito de Tamboril Marcelo Mota esteve na rádio Feiticeiro FM nesta sexta-feira (08/01) relatando o caos financeiro e administrativo deixado pela gestão do ex-prefeito Pedro Calisto.

De acordo com o prefeito Marcelo Mota na primeira semana da gestão foi realizada uma verdadeira maratona nos bancos para tentar encontrar os valores deixados nas contas para pagamento da folha dos servidores, uma vez que esse acesso foi bloqueado durante o período de transição. Após complementar a folha de pagamento referente ao mês de dezembro com recursos oriundos já do novo exercício financeiro para não prejudicar a classe de trabalhadores, o prefeito Marcelo Mota se deparou ainda com uma situação muito mais crítica, o bloqueio dos recursos do primeiro FPM (Fundo de Participação dos Municípios por falta de pagamento do INSS e retidos pela Receita Federal.

 

Marcelo Mota ressaltou ainda que foram retidos R$ 809 mil reais das contas da prefeitura que seriam para pagamento de servidores e fornecedores, como se não bastasse, constatou-se ainda na Receita Federal que existe dois montantes também para serem retidos na fonte no próximo FPM, um no valor de R$ 703 mil reais e outro no valor de R$ 390 mil reais, este último, referente a folha do 13º salário.

 

O prefeito diz que o município hoje está totalmente impossibilitado de contratar ou fazer novos investimentos, por conta desses recursos que estão sendo retidos por falta de pagamento da gestão do ex-prefeito Pedro Calisto e de seu vice-prefeito Bibi.

 

Marcelo relata que para se fazer justiça a única área que resta com a possibilidade de realizar algum investimento é na área da saúde, por conta dos recursos extras enviados para o combate a Covid-19. Segundo o prefeito, neste setor, já autorizou inclusive a compra de seringas para preparar o município para o processo de vacinação.

 

Marcelo diz que vai se reunir com toda a equipe administrativa para fazer um levantamento geral de todas as contas deixadas pela gestão anterior e dos recursos existentes, caso o cenário se mostre ainda mais caótico do que o apresentado no momento atual, não afasta a possibilidade de que o município tenha que decretar estado de calamidade pública. Marcelo deixa claro que esta seria a última possibilidade, mas não pode ser descartada, dependendo das próximas situações constrangedoras que se apresentem no município.

 

O prefeito finalizou sua entrevista, dizendo que vai continuar com o mesmo canal de comunicação e transparência que adotou na campanha eleitoral e, com certeza vai manter a população informada de tudo o que está acontecendo no município, para que cada gestor de Tamboril seja julgado pela população por seus próprios atos. “Vou trabalhar dia e noite para melhorar a vida do povo tamborilense, disso não tenham nenhuma dúvida,” finaliza Marcelo Mota.

 

(Reginaldo Silva, Ceará Notícias)

 

(Foto: André Wilker)

 

 

Nenhum comentário: