sábado, 27 de março de 2021

Estadão diz que deputado Delegado Cavalcante espalha inverdades sobre produção de vacinas pela Fiocruz no Ceará

 

Sobre a alegação de que o CTIE no Ceará poderia “quadruplicar” a produção de insumos para a vacina contra a covid-19, a Fiocruz indica que o autor do vídeo pode ter se confundido com outro complexo industrial que está nos planos em Santa Cruz, no Rio de Janeiro -(Imagem: reprodução)

Com o título de “Deputado bolsonarista espalha inverdades sobre a produção de vacinas pela Fiocruz no Ceará, o Estadão diz que são inverídicas as informações de que um novo complexo tecnológico da Fiocruz na cidade de Eusébio, no Ceará, será capaz de “quadruplicar” a produção de vacinas contra a covid-19 a partir da metade do ano. A alegação falsa aparece em vídeo gravado pelo deputado estadual cearense Delegado Cavalcante (PSL), que distorce a finalidade e o andamento de um projeto da instituição para fazer elogios à atuação do presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia. O conteúdo teve mais de 40 mil visualizações e 2,3 mil compartilhamentos no Facebook.

 

De acordo com o jornal a peça de desinformação analisada mostra o político em frente aos portões fechados da sede da Fiocruz/Ceará, localizada em Eusébio. Em uma sequência de frases confusas, Cavalcante primeiro aponta para o prédio e fala em “fabricação de vacina contra a covid-19”. Depois, alega que a unidade seria responsável por fabricar insumos, que seriam então enviados ao Rio de Janeiro para acelerar o ritmo de trabalho. “A partir do meio do ano, mais ou menos, quando o complexo ficar pronto, vai quadruplicar a produção. Nós vamos ter na faixa de 4 milhões de vacinas por dia.”

 

Diferentemente do que sugere o deputado, o Complexo Tecnológico em Insumos Estratégicos (CTIE) a que ele se refere nem começou a ser construído ainda, e não há previsão para que entre em funcionamento. Além disso, a Fiocruz afirmou que não pretende utilizar essa estrutura para a produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) das vacinas contra a covid-19 — pelo menos, não a curto e médio prazo. “O IFA da vacina contra a covid-19 será produzido no Rio de Janeiro, na planta industrial de Bio-Manguinhos, que se encontra em adaptação para esta finalidade”, destaca a instituição.

 

A Fiocruz também esclareceu que a construção da fábrica de insumos no CTIE não está incluída na primeira parte da obra, com previsão de início até o final do ano. A equipe está elaborando hoje o projeto executivo das áreas administrativas, de desenvolvimento tecnológico e do almoxarifado. “Em paralelo, estão em discussão os projetos das instalações de produção de IFAs, que serão construídas em etapa posterior”. O investimento total do projeto é estimado em R$ 950 milhões, e não R$ 3 bilhões, como também sugere erroneamente o deputado.

 

Sobre a alegação de que o CTIE no Ceará poderia “quadruplicar” a produção de insumos para a vacina contra a covid-19, a Fiocruz indica que o autor do vídeo pode ter se confundido com outro complexo industrial que está nos planos em Santa Cruz, no Rio de Janeiro. A estrutura pode aumentar em quatro vezes a capacidade de produção de vacinas e biofármacos do Bio-Manguinhos como um todo, mas só deve ficar pronta em 2025. O edital da obra foi publicado em fevereiro.

 

Além de desinformar sobre a unidade da Fiocruz no Ceará, o deputado Delegado Cavalcante (PSL) faz outras declarações infundadas no vídeo para propagandear o suposto “tratamento precoce”, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores na contramão de especialistas. O kit de remédios composto por hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina, zinco e outras drogas não tem validade científica e pode trazer graves prejuízos para a saúde.


 

Nenhum comentário: