quinta-feira, 17 de junho de 2021

Bolsonaro pede a Guedes reajuste no salário dos servidores em 2022

 

A correção custaria R$ 15 bilhões no Orçamento do ano que vem. Em 2020, o Congresso aprovou o congelamento do salário dos servidores públicos até dezembro deste ano- Foto: reprodução/VEJA

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) encomendou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, um reajuste de 5% no salário dos servidores públicos em 2022, segundo a colunista Adriana Fernandes, no Estadão. O pedido de Bolsonaro seria uma estratégia para recuperar sua popularidade em vista à eleição de 2022.


A correção custaria R$ 15 bilhões no Orçamento do ano que vem. Em 2020, o Congresso aprovou o congelamento do salário dos servidores públicos até dezembro deste ano.

 

A medida seria um das táticas de Bolsonaro para conquistar o eleitorado para 2022. Na noite desta terça-feira (15/6), o presidente também anunciou que está “quase fechado” na equipe econômica a decisão de dar um reajuste de 50% no programa Bolsa Família em dezembro deste ano, quando, calcula o governo, não haverá mais auxílio emergencial.

 

No entanto, segundo a coluna, a fala pegou a equipe orçamentária de surpresa, uma vez que todos os cálculos foram feitos para garantir um benefício médio de R$ 250, totalizando um custo de R$ 51 bilhões em 2022 aos cofres públicos.

 

Teto de gastos  é entrave

 

Bolsonaro, entretanto, não poderá instituir o reajuste nos salários e o aumento do valor do Bolsa Família sem ultrapassar o teto de gastos, mesmo com a correção da inflação mais alta, que aumenta o limite.

 

O secretário do Tesouro, Jeferson Bittencourt, afirmou que o espaço para gastos no orçamento de 2022 está próximo de R$ 25 bilhões, o que impede que o impede um aumento significativo nas políticas de auxílio e em reajuste de salários.


 

Nenhum comentário: