segunda-feira, 7 de junho de 2021

Entenda algumas das reações colaterais que podem ser provocadas pela vacina da AstraZeneca e seu índice de eficácia

 

A vacina é o caminho mais seguro para superarmos a pandemia. As vacinas são altamente benéficas para combater a Covid-19, contudo, o imunizante traz pequeno efeitos colaterais o que já é previsto nos estudos, nada que possa fazer medo a população na hora de se vacinar.

 

Esses pequenos efeitos colaterais podem apresentar: sensibilidade no local da injeção, esse grupo de pessoas foram relatados por 60% dos voluntários; dor no local da injeção, dor de cabeça e fadiga, neste caso foram relatados por mais de 50% dos voluntários; já dor no corpo e mal-estar foram relatadas por mais de 40% dos voluntários; febre e calafrios também foram relatados por mais de 30% dos voluntários e dor nas articulações e náusea, registrado por mais de 20% dos voluntários.

 

O mais importante vem agora, os índices de eficácia da vacina. Após novos estudos da farmacêutica AstraZeneca, em março deste ano, comprovam que os índices de eficácia da vacina atingiram 79% em casos sintomáticos. Já em idosos a partir de 65 anos, o percentual chega a 85%. A proteção para casos graves, que necessitam de hospitalização, fica em 100%.

 

O contratempo registrado da vacina foi constatado em maio deste ano, o Ministério da Saúde resolveu suspender a vacinação de gestantes e puérperas com a AstraZeneca após suspeita de efeito adverso que causou óbito de grávida e feto no Rio de Janeiro.

 

O imunizante da Oxford/AstraZeneca, produzido em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Brasil, foi desenvolvido a partir de um vetor viral – adenovírus -, o qual carrega informações genéticas da Covid-19 ao organismo.

 

 

Nenhum comentário: