quarta-feira, 16 de junho de 2021

Pagamento do Cartão Mais Infância Ceará é liberado para cerca de 100 mil famílias cearenses

 

A iniciativa, que contempla também o acompanhamento das equipes de saúde e da assistência social, sendo priorizadas nas políticas públicas do Estado

O Governo do Ceará liberou (15/06), o pagamento de R$ 100 do Cartão Mais Infância Ceará para cerca de 100 mil famílias cearenses. Neste mês, mais de R$ 9,6 milhões foram investidos pelo Estado para garantir o auxílio aos núcleos familiares cearenses com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses, em situação de extrema pobreza. Em 2021 o investimento total é de mais R$ 147 milhões assegurados para cerca de 150 mil pessoas.

 

“Muitas mães dependem dessa fonte de renda, principalmente em meio a essa pandemia. Novas famílias estão passando pelo processo de validação dos dados, junto às prefeituras, e também serão contempladas com o auxílio. Só este ano o Governo do Estado vai investir mais de 147 milhões com a transferência de renda para as famílias cearenses”, reforça a primeira-dama do Ceará, Onélia Santana.

 

A dona de casa Valdenora da Silva, que mora no bairro Planalto Ayrton Senna, em Fortaleza, é uma das contempladas com o benefício e informou como ele está contribuindo no orçamento da família. “Ter um auxílio mensal durante um momento tão difícil como este é fundamental para as despesas da família. Esse dinheiro ajuda, por exemplo, na alimentação dos meus filhos, além de uma necessidade ou outra que temos em casa. Sou muito grata por fazer parte do público contemplado”, agradece.

 

O Cartão Mais Infância Ceará é destinado para núcleos familiares cearenses inscritos no Cadastro Único Para Programas Sociais (CadÚnico), com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses e que possuam renda “per capita” familiar de até R$ 89.

 

A transferência de renda mensal prioriza as pessoas que atendem os seguintes critérios: residências urbanas sem água canalizada em, pelo menos, um cômodo; estrutura inapropriada com material de construção nas paredes; espaços improvisados, adaptados para servir de moradia; domicílios coletivos, como abrigos, pensões, alojamentos, dentre outros; e famílias com o maior número de crianças até 12 anos.

 

A iniciativa, que contempla também o acompanhamento das equipes de saúde e da assistência social, sendo priorizadas nas políticas públicas do Estado, faz parte das ações do Programa Mais Infância Ceará e é executada pela Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS).

Fonte: Gov.Ce

Nenhum comentário: