quinta-feira, 29 de julho de 2021

Falso advogado que atuava dando golpes em Coreaú é preso no Maranhão

 

Veículo apreendido na casa onde o suspeito foi encontrado em Paço do Lumiar (MA) — Foto: Polícia Civil

Um homem que se passava por advogado e atuava no município de Coreaú, na Região Norte do Ceará, foi preso na manhã da ultima terça-feira, 27, na cidade de Paço do Lumiar, Região Metropolitana de São Luís, no Maranhão. Tiago do Nascimento de Sá, de 36 anos, é suspeito de aplicar golpes que, somados, dão o prejuízo de cerca de R$ 200 mil.

Com ele, a polícia apreendeu dois veículos, entre eles, o carro que o suspeito utilizava nos golpes no Ceará, além de documentos e um aparelho celular. As investigações em torno do suspeito iniciaram em fevereiro deste ano. O homem tem antecedentes criminais em São Paulo pelo crime de estelionato.

De acordo com a Polícia Civil, o estelionatário se aproximava das vítimas com a promessa de solucionar processos judiciais que tramitam há anos na justiça, além de anunciar para elas supostos direitos a alguns benefícios, como aposentadorias, correção salarial, acesso ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e ao Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (FUNRURAL). Para tornar-se mais convincente, o suspeito chegou a comparecer ao Fórum da Comarca de Coreaú, no Ceará para ter acesso a um processo judicial de uma das vítimas.

Suspeito ganhou a confiança das vítimas

As oito vítimas identificadas até o momento, todas de uma mesma família, são moradoras das localidades de Boa Esperança e Cauã, zonas rurais da cidade de Moraújo. Todas conheceram o suspeito, após ele ser indicado por uma pessoa próxima, que tem família no Ceará, porém mora no Pará. O homem alegou que o suspeito já tinha resolvido uma pendência judicial para a família dele.

 

Desta forma, ele ganhou a confiança das vítimas e passou a solicitar os honorários por seu trabalho. O suspeito tinha o cuidado de sempre deixar as vítimas confiantes de que obteriam sucesso nas ações judiciais que ele ajuizasse. Estipulava prazos em que as vítimas receberiam valores ganhos nas ações, além de outras situações que seriam solucionadas, como usucapião de terra.

Denúncias

Após desconfiar do suspeito, as vítimas registraram as ocorrências e a Polícia Civil passou a investigar, descobrindo que o suspeito não era advogado e sim um estelionatário com passagens na Polícia nos Estados de São Paulo e Bahia. Após os crimes, o homem fugiu para o Pará, onde continuou aplicando golpes. Do norte do país, Tiago retornou ao nordeste, onde acabou preso no Maranhão.

 

A Polícia Civil do Ceará mantêm as investigações no sentido de identificar outras pessoas que possam ter sido vítimas do suspeito. O delegado João Gabriel Cardoso, responsável pelas investigações, alertou que as pessoas devem se certificar dos profissionais que contratam para evitar que se tornem vítimas de estelionatários. Outra orientação do delegado é que caso outras pessoas reconheçam o suspeito, procurem uma delegacia e registrem a ocorrência.

A operação da Polícia Civil do Ceará contou com a colaboração das Polícias Civis dos estados do Pará e do Maranhão.

 


Nenhum comentário: