sábado, 13 de novembro de 2021

Brisanet expande carteira de clientes em 44% e chega a 790 mil assinantes

 

José Roberto Nogueira, CEO da Brisanet (Foto: Divulgação)

O acréscimo de 436 mil clientes à base de clientes da Brisanet no terceiro trimestre deste ano fez a receita líquida da empresa cearense recém listada na bolsa crescer 56%, chegando a R$ 190 milhões. A carteira de clientes saltou de 554 mil assinantes para 790 mil, uma alta de 44%.

 

No entanto, o lucro líquido de R$ 11,2 milhões registrado no terceiro trimestre de 2020 foi revertido e a Brisanet reportou prejuízo de R$ 6,6 milhões entre julho e setembro deste ano. O resultado é explicado pelos investimentos em ampliação de rede e ampliação dos custos operacionais.

 

Também no terceiro trimestre, o Ebtida (lucro antes de amortizações como juros e tributos) cresceu 59%, chegando a R$ 67,2 milhões. Já o índice ajustado fechou em alta de 38%. A companhia também informou que o tíquete médio da banda larga subiu 3,1%.

 

Nos últimos 12 meses, a Brisanet começou a atuar em 16 novos municípios, passando de 94 para 110 cidades do Nordeste. O número de portas adicionadas à rede, que tem 20 mil quilômetros de backbone, passou de 1,69 milhão para 2,79 milhões.

 

A Brisanet arrematou dois lotes para fornecer a tecnologia de internet 5G no Nordeste e parte do Centro Oeste. Ao todo, o investimento será de R$ 1,4 bilhão.

 

IFCE será certificado como Huawei ASC

A chinesa Huawei e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) firmam parceria inédita no Brasil para criação do Huawei Academy Support Center (ASC). A novidade é uma ampliação da parceria do ICT Academy, programa para capacitação e certificação de alunos e professores em 5G, Cloud, AI e IoT. Os ASC são organizações certificadas e autorizadas a facilitar a cooperação entre a Huawei e os programas ICT Academy locais. Atualmente, existem cinco ASC no mundo: Reino Unido, Itália, África do Sul, Egito e Paquistão. O IFCE será o sexto Huawei ASC no mundo e o primeiro no Brasil.

 

Agro

O PIB do Ceará teve aumento em volume de 2,1% em 2019, na comparação com o ano anterior. O índice cearense foi maior do que o nacional, que foi de 1,2%. O Estado atingiu o valor de R$ 163,58 bilhões, o equivalente a 2,2% do PIB brasileiro. No Ceará, a agropecuária cresceu 9,8%, os serviços registraram crescimento de 1,5%, e a indústria avançou 1,7% em volume.

 

3º no Nordeste

Entre 2018 e 2019, o Estado manteve a sua participação na economia brasileira em 2,2%, ocupando a 12ª posição relativa nacionalmente. No Nordeste, o Ceará figurava na 3ª posição, antecedido por Bahia (1ª) e Pernambuco (2ª). 2019 foi o terceiro ano consecutivo no crescimento de volume do PIB no Brasil, depois da variação de 1,3%, em 2017, e de 1,8%, em 2018.

 

 

Nenhum comentário: