<>

eiro o POVO

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Gari: Um ser invisível na sociedade contemporânea

Imagem ilustrativa

As civilizações modernas passaram por várias transformações no decorrer dos séculos. Entretanto uma questão ainda parece imutável: o preconceito. No mundo globalizado e em pleno século 21, ainda podemos perceber como nossa sociedade ainda é preconceituosa, seja pelo tom de pele da pessoa, pela sua orientação sexual, pela etnia, pelas condições financeiras do sujeito e, também, pela relação de trabalho que o indivíduo exerce nos dias atuais.

No que concerne ao preconceito pela relação de trabalho, o Gari é o que mais perece perante a sociedade. A função do “Operário do Meio Ambiente”, pode ser considerada a mais estigmatizada pela comunidade, porque no senso comum se trata de um trabalho humilhante e imundo, uma vez que ninguém quer realizar está atividade laboral degradante e as pessoas acabam por associar o resíduo à miséria, coisas ruins e imoralidade e, por fim, confundindo o lixo com o coletor.

Apesar do preconceito, profissão de gari é essencial para a sociedade

Um Gari trabalha com a limpeza das vias públicas. Ele é responsável por varrer diariamente ruas, praças, parques, dentre outros locais públicos. Ele trabalha para que as cidades estejam diariamente limpas e em boas condições de habitação. Isso faz com que este profissional seja essencial no ambiente urbano.

O trabalho que o coletor realiza é de extrema importância, uma vez que contribui para o asseio das ruas, o combate às pragas urbanas, que aumentariam sem a coleta dos resíduos e a manutenção do meio ambiente. Todo trabalhador, independentemente do serviço que executa, merece ser respeitado como pessoa e como profissional, visto que, fazemos parte de um sistema no qual dependemos uns dos outros de forma direta ou indireta para a sobrevivência neste mundo hostil.

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), nós, brasileiros, produzimos aproximadamente 230 mil toneladas de lixo por dia. Com esse número alarmante é possível entender que precisamos muito do trabalho dos Garis. Mesmo contando com as coletas de lixo, uma parcela do que é produzido acaba indo para as vias públicas e o Gari tem o importante papel de deixar tudo organizado. A limpeza diária diminui, também, os riscos de bueiros entupidos ocasionando enchentes.

Orgulho

O trabalhador de 26 anos, afirma sentir orgulho da sua profissão e lembra o quanto é importante seu serviço para a cidade. “O lixo é fonte de bactérias e de doenças se não recolhido, então imagina como ficaria a cidade se deixarmos de fazer a coleta apenas por um dia? Acho que a sociedade iria sentir nossa falta, não é mesmo? Então, sei da importância que tenho para cidade, mesmo, muitas vezes, não sento reconhecido”, afirmou.

A profissão é valorizada?

Mesmo sabendo o quanto os Garis são importantes na vida urbana, não são valorizados profissionalmente. Com salários baixos, correndo riscos expostos nas ruas todos os dias e percorrendo trajetos longos, esses profissionais, de fato, se esforçam bastante para fazer o seu ofício todos os dias.

As atividades que este profissional desenvolve são varrer e recolher dejetos jogados em calçadas, ruas, praças e locais públicos. Com suas rotas já predeterminadas e diariamente.

Infelizmente vemos que a profissão não é valorizada, mesmo sabendo que sem estes profissionais viveríamos em uma cidade suja e descuidada, podemos perceber já no salário, como já dito anteriormente, que eles não recebem tanto quanto merecem pela quantidade de trabalho. Muitas pessoas ainda tem preconceito para com eles, os ignoram. 

Análise 

Como havíamos dito, para lembrar essa profissão essencial no dia a dia de todas as cidades, anualmente, em 16 de maio, comemora-se o Dia do Gari. Entretanto, mediante uma pesquisa feita pela nossa produção, nos sites e paginas das prefeituras da região, apenas as prefeituras de Meruoca e Massapê, lembraram-se de homenagear os profissionais da limpeza -“Operário do Meio Ambiente”, ou seja,   isto confirma a tese de que o gari é um ser invisível na sociedade. Não é uma condição generalizada, mas sabemos que infelizmente é isso que acontece.

Durante a pesquisa ainda encontramos uma publicação do vereador de Camocim, Zezinho Silva e outra do empresário e agente de segurança Dione Smith

Aparentemente neste momento, uma parte dos governantes estão dando mais importância aos acordos políticos para as eleições que se aproximam, assim como as picuinhas entre o legislativo e executivo. Algumas empresas terceirizadas, estão mais preocupadas com os lucros, tanto é, que pagam mal e atrasam o salário do gari, infelizmente.
Agora não adianta querer fazer homenagem com postagem de data retroativa, pois já averiguamos sites e paginas nas redes sociais.

Fica registrada nossa menção a este profissional que tem um papel fundamental para o bem-estar da população.

Com informações: Guia do Trabalho
Com Meu Artigo – Brasil Escola/ Uol
Adaptação textual: Professor Luciano Silva




Postar um comentário