<>

eiro o POVO

sábado, 20 de outubro de 2018

Em Sobral, Cid faz campanha pró-Haddad, mas projeta Ciro para 2022


Durante caminhada em Sobral, na manhã deste sábado (20), em apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT), o senador eleito Cid gomes (PDT) afirmou que, muitas vezes, é preciso "abrir mão de divergências daquilo que a gente considera como ideal" para que o candidato "menos ruim" seja eleito no Brasil. Cid fez referência ao irmão Ciro Gomes (PDT), que ficou em terceiro lugar na disputa presidencial no primeiro turno. Mesmo em ato pró-Haddad, em Sobral, berço político da família, o pedetista defendeu a candidatura do irmão para a Presidência da República.

"Se não é agora, será, se Deus quiser, em 2022. O sistema eleitoral brasileiro, no entanto, nos coloca numa situação em que os dois mais votados no primeiro turno vão disputar o segundo turno. Os dois que ficaram nos colocam na obrigação de escolher um dos dois e nessa horas a gente não pode se dar ao luxo de escolher aquele que seria do nosso coração", desabafou para apoiadores.

O posicionamento de Cid representa o apoio crítico que o PDT deu à candidatura de Hadddad no segundo turno. Na última segunda-feira (15), durante ato pró-Haddad organizado pelo governador Camilo Santana, em Fortaleza, o senador eleito bateu boca com militantes ao criticar a sigla petista e cobrar mea-culpa. Apesar do constrangimento, o pedetista gravou vídeo declarando apoio à Fernando Haddad.

O pedetista, no entanto, disse que é preciso pensar no País. "Vamos botar o adesivo do Haddad, que digo a vocês: é uma boa pessoa, eu conheço bem ele, ele é diferente da média do partido dele, é um cara do bem, é um cara sério, é um cara íntegro, é um cara que gosta do Brasil e ajudou muito como ministro o Estado do Ceará e ajudou muito a Sobral. Vamos colocar o Haddad no coração e vamos procurar convencer as pessoas daquilo que é o menos ruim", pediu.
Diário do Nordeste / Marcelino Junior





Postar um comentário