<>

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Governo planeja cobrar imposto de 0,4% para saques e depósitos em dinheiro


A proposta de reforma tributária do Governo Federal pode incluir uma cobrança de 0,4% de imposto sobre saques e depósito em dinheiro. A cobrança seria parte do que vem sendo chamado de “Nova CPMF”.

Além disso, a equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro (PSL) estuda cobrar uma alíquota inicial de 0,2% sobre pagamentos no débito e no crédito. Isso tanto para quem está pagando, quanto para quem está recebendo.

Assim como a taxação sobre saques e depósitos, o percentual sobre pagamentos no débito ou crédito é apenas uma alíquota inicial. Isso significa que elas podem aumentar.

Apesar de o governo rechaçar a comparação com a antiga CPMF, o próprio secretário defendeu o novo imposto mostrando um gráfico que mostra o histórico relativamente estável das alíquotas de CPMF ao longo dos anos em que vigorou, o que representaria uma previsibilidade para o novo imposto.

Segundo o Ministério da Economia, a ideia é substituir aos poucos a tributação sobre salários considerada pela pasta como nociva à geração de empregos no País. O secretário especial adjunto da Receita Federal, Marcelo de Sousa Silva, frisa, ainda, que essa taxação pode substituir, inclusive, o IOF.

Ele disse ainda que as proposta de alteração no imposto de renda devem ser concluídas pela equipe econômica ainda nesta semana. O secretário ainda indicou que a reforma tributária deve começar com a união apenas de PIS e Cofins, que virariam a Contribuição sobre Bens e Serviços. A alíquota proposta será de 11%.






Nenhum comentário: