teste

terça-feira, 19 de novembro de 2019

Promotor de justiça decide arquivar denúncias de atos cometidos na eleição do Conselho Tutelar de Martinópole


Informações chegadas à nossa redação dão conta que o promotor de Justiça Dr. Irapuã, resolveu arquivar denuncias de atos cometidos na eleição do Conselho Tutelar de Martinópole, realizada em 6 de outubro.

Conforme informação colhida pelo Acontece, o promotor não acatou a denúncia por não apresentar provas suficientes na configuração de crime eleitoral, além de considerar a falta de identificação do autor de um áudio, sendo também arquivada.

As denuncias também tinham sido apresentadas a Comissão Especial Eleitoral, que segundo informações, não se manifestou.

Saiba mais: Ministério Público começa a pedir impugnação de eleitos para o Conselho Tutelar

O Acontece teve acesso alguns dos arquivos apresentados na denuncia. Em um áudio, pessoas conversam entre si, uma voz feminina cita os nomes de dois vereadores de Martinópole, que teriam dado suporte inclusive financeiro a uma candidata eleita. Em outro trecho, uma mulher puxa conversa como se quisesse obter mais informações que configurasse crime eleitoral. Uma voz masculina também aparece no áudio. Na gravação, que tem cerca de 3 minutos de duração, as pessoas citam eleitores que teriam trocados seus votos por dinheiro. Também foram anexados diversos prints de troca de mensagens nas redes sociais, como também uma publicação do prefeito da cidade, onde apenas 3 candidatas foram “marcadas”.



Nenhum comentário: