teste

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Relatório aponta uso indevido de tratores doados por projeto


Equipamentos que deveriam fomentar o desenvolvimento no campo, encontram-se sucateados ou são usados de forma indevida –(FOTO: CID BARBOSA)
Estudo preliminar inédito realizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce) aponta que mais de 30% dos tratores fornecidos pelo Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável, conhecido como São José, estão sendo utilizados de forma indevida. O levantamento começou no início do ano e foi divulgado nesta quinta-feira (7) pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA).

No intervalo de 25 anos, associações comunitárias receberam do Estado cerca de 1.841 tratores, dentro da política de mecanização e desenvolvimento agrícola no Ceará.

Fora do Padrão

De todas as situações investigadas pelos técnicos da Ematerce, 593 estão em desacordo com a política de uso recomendada. Foram observados que 35 tratores foram vendidos, um foi roubado e um destruído. Além disso, três tratores foram alugados por prefeituras e 34 apresentaram problemas mecânicos. Ainda de acordo com o relatório, 148 não possuem qualquer informação sobre sua situação.

Observou-se também que 38 tratores estão sendo usados por particulares por meio da venda direta sem autorização da SDA. Foi identificado que alguns tratores foram alugados para terceiros ou são utilizados apenas pelo indivíduo que "cuida do trator".

Em valores atuais de mercado cada veículo custa, em média, R$ 105 mil.

Visitas Preliminares

O documento não está finalizado e, portanto, o número pode ser alterado. Porém, após as primeiras visitas às associações, a visão geral informada pelos técnicos é de que "muitos tratoristas não têm o conhecimento técnico e acabam causando acidentes e diminuindo a vida útil da máquina; a gestão da maior parte das associações é feita de forma precária; e que muitos implementos foram trocados, vendidos ou encontram-se inutilizados".

Projeto

Diante do cenário, a SDA informou que "ainda não é possível determinar quantas associações foram atendidas, uma vez que se trata de um relatório preliminar. Além de situações pontuais, que contrariariam o interesse do Estado, temos ouvido os presidentes de associações, e o nosso desejo é realizar, juntos às associações, cursos para capacitar novos tratoristas e entregar implementos agrícolas para que os equipamentos cumpram a sua total finalidade".

O Projeto São José III forneceu 180 tratores no valor de quase R$ 22 milhões para 180 associações comunitárias. Cada associação recebeu também cinco implementos agrícolas, totalizando 850 equipamentos entre carretas reboques, grades hidráulicas, batedeiras de feijão, debulhadoras de milho, cultivadores de milho, guinchos, ensiladeiras acopladas e colhedeiras.

Recomendações

A Ematerce recomenda desenvolver mecanismos para evitar desvios de finalidade. Sugere o recolhimento de tratores, máquinas e implementos, usados indevidamente, verificando possibilidade de realocação; novo ordenamento de uso - planejamento e controle; capacitação de operadores de máquinas agrícolas; capacitação de técnicos; recolhimento das unidades de mecanização em estado de sucata ou paradas para a Secretaria .
*DN/Regional




Nenhum comentário: