teste

quarta-feira, 25 de março de 2020

Chuva deixa 500 famílias desabrigadas em Hidrolândia


A cidade ficou sem energia elétrica e sem sinal das operadoras de telefone — Foto: Mateus Ferreira
Pelo menos 500 famílias ficaram desabrigadas em Hidrolândia, na região Norte do Ceará, a 251 km de Fortaleza, após a chuva de 53 milímetros que caiu na madrugada desta quarta-feira (25). O acúmulo causou o rompimento de um açude e, consequentemente, a cheia do Rio Batoque, que alagou três distritos e a sede do município. Seis pessoas se afogaram, mas todas foram socorridas. Porém, uma delas está em estado grave e foi transferida para Sobral.

A chuva também causou o desabamento de casas, enquanto algumas ficaram submersas. Veículos foram arrastados e a água invadiu residências e lojas. Até o fim da tarde desta quarta-feira, a cidade ficou sem energia elétrica e sem sinal das operadoras de telefone. O hospital municipal funciona através de um gerador.
Chuva deixa 500 famílias desabrigadas em Hidrolândia, no Ceará — Foto: Mateus Ferreira

O agricultor Olavo da Costa, que viu sua casa desabar, conta que passou cinco horas ao lado de sua esposa e de seus dois filhos em cima de uma árvore, esperando o resgate chegar. “Estava com muito medo da enxurrada arrastar a árvore e levar meus filhos. A gente gritava socorro”, narra. Enquanto a dona de casa Neusa Rodrigues conta que o volume da água subiu rapidamente. “Nem consegui pegar meus remédios”, lamenta.

Segundo a prefeita Iris Martins, cerca de 500 famílias estão desalojadas — 350 apenas no bairro Progresso, o mais atingido. No bairro Vilas Freitas, pelo menos seis casas desabaram. Dois caminhões carregaram os móveis e eletrodomésticos danificados da população para despejarem no lixão, enquanto carros-pipa levam água para os moradores lavarem suas casas. A gestora garante que esta é a primeira cheia do rio que a cidade passa por esta situação.

A Escola Oscino Pereira de Sousa, no Centro da cidade, está recebendo cerca de 100 pessoas que ficaram desabrigadas. Outras optaram por deixar o município ou procuraram a casa de parentes. O local recebe doações de calçados, roupas, colchões e alimentos.

De acordo com o secretário de Saúde de Hidrolândia, Antônio Iris Mororó, por causa do incidente, a quarentena para evitar o contágio do novo coronavírus foi interrompida pela tragédia. “Não tem como, por conta da situação”, admite. O gestor garante que serão distribuídas máscaras descartáveis para coibir a transmissão de Covid-19.
*G1CE



Nenhum comentário: