teste

terça-feira, 9 de junho de 2020

OMS infeliz e inconsequente


Natalia Pasternak desfez a confusão criada pela OMS, que está sendo usada por Jair Bolsonaro para sabotar a quarentena e abrir as lojas de Zé Carioca.

Ela disse:
“Sobre a declaração da OMS de que pacientes assintomáticos tem pouca probabilidade de transmitir a doença.
Primeiro: a Dra Maria van Kerkhone não estava fazendo uma declaração, mas sim respondendo a uma pergunta da imprensa.

Uma coisa seria a OMS dar uma declaração oficial baseada em um estudo robusto que mostra dados novos. Outra é responder a uma questão. De qualquer modo, a resposta foi infeliz e inconsequente.

Para elucidar isso, é preciso diferenciar pré-sintomaticos de assintomáticos. Pré-sintomaticos são aqueles que ainda não têm sintomas mas acabam por desenvolvê-los.

Assintomáticos são aqueles que testam positivo, mas nunca chegam a desenvolver sintomas.

Os pré-sintomaticos transmitem antes e durante os sintomas, e os sintomáticos leves transmitem o tempo todo sem perceber. E os assintomáticos? Não sabemos!

Só o que sabemos é que muitos assintomáticos apresentam carga viral semelhante aos sintomáticos.

O que se pode afirmar com certeza é que uma declaração dessas, mal colocada e mal interpretada, tem o potencial de confundir ainda mais a população, que pode assumir que quem não tem sintomas não precisa cumprir as medidas de distância ou uso de máscara.”
(o antagonista)

Nenhum comentário: