teste

sábado, 31 de outubro de 2020

Festa de forró com aglomeração é encerrada em Fortaleza, e cantora é levada para delegacia

 

Festa de forró foi encerrada em Fortaleza após chegada de policiais — Foto: PCCE/Reprodução

Uma festa de forró em uma casa de show em Fortaleza foi encerrada após ação policial contra aglomeração no local. A cantora Iara Pamella, uma das atrações do evento na noite deste sábado (31), foi encaminhada para Delegacia do 30º Distrito Policial após se desentender com policiais que realizaram a operação.

A vocalista revelou que, após o desentendimento, foi chamada para prestar esclarecimentos. Conforme a Secretaria da Segurança Pública, cerca de 200 pessoas participavam de uma festa de forró, e parte delas não utilizava máscaras.

Ela defende que já havia encerrado o evento quando os policiais chegaram e que foi impedida de deixar o local e que por isso se desentendeu com os agentes.

 

No total, foram abordadas 248 pessoas e 48 veículos durante a operação. Os dois gerentes responsáveis pelo estabelecimento foram conduzidos para o 30º DP. Na delegacia, um termo circunstanciado de ocorrência foi registrado contra eles, por infringir medida sanitária preventiva.

Festa de forró foi encerrada em Fortaleza após chegada de policiais — Foto: PCCE/Reprodução

Um decreto em vigor no Ceará determina uso obrigatório de máscara em locais públicos e privados, além do distanciamento social.

 

'Fecharam todas as saídas'

A cantora de forró Iara Pamella finalizava uma apresentação na casa noturna quando carros de polícia chegaram ao local. Segundo a cantora, que era uma das atrações do estabelecimento, a ação assustou os participantes do evento.

 

"Já havia terminado meu show meia-noite. Chegaram mais de 10 viaturas da Polícia. Tinha Polícia Civil e tinha guarda municipal. Fecharam todas as saídas da casa. Disseram que não iria sair ninguém. Precisava sair, pois meu filho estava doente. Eles mandaram que quem não fosse músico saísse. Eu não aceitei e reclamei", relatou Iara Pamella.

Francisco Ferreira Martins, dono da casa noturna, declarou que não sabe como vai ficar a situação próximos eventos agendados.

"Para fazer dentro dos critérios que eles querem não sei se dá certo. Não sei se cobre a metade das despesas. A gente conta com um espaço para 250 a 300 pessoas, mas não estamos atendendo esse público. Já tentamos ao máximo fazer distanciamento e outras ações no espaço que temos", complementou o empresário.

O cantor de forró, Igor Guerra, também realizaria apresentação no evento, mas teve o show parado pela ação policial.

 *G1/CE

 

 

Nenhum comentário: