sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Inácio Cortez de Alencar e Raimundo Nonato dos Santos vão presidir o TRE-CE

 

O desembargador Inácio Cortez destacou a atuação do atual presidente, o desembargador Haroldo Máximo. 

Na tarde desta quinta-feira (21/1), os desembargadores Inácio de Alencar Cortez Neto e Raimundo Nonato Silva Santos foram conduzidos pelo Pleno do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) para a nova composição do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE).

 

A nova gestão vai trabalhar no biênio 2021/2023. A data prevista para a posse dos membros será no dia 5 de junho. Inácio Alencar e Raimundo Nonato foram eleitos por unanimidade, através de votação virtual e secreta, em sessão conduzida pelo presidente do TJCE, desembargador Washington Araújo.

 

O desembargador Inácio Cortez destacou a atuação do atual presidente, o desembargador Haroldo Máximo. “Mais uma vez venho agradecer aos pares a confiança em mim depositada e prometo continuar a administração, que tem elevando o TRE como um Tribunal de ação e julgamento céleres”. Ele ressaltou ainda que em novembro do ano passado o TRE recebeu o Selo Ouro no Prêmio CNJ de Qualidade.

 

Em entrevista exclusiva ao A Notícia do Ceará, o desembargador Raimundo Nonato dos Santos, eleito para a vice-Presidência e Corregedor, afirmou que o trabalho vai exigir esforço e dedicação. “Será um período que vai abranger as eleições gerais de 2022, quando serão escolhidos presidente, governador, senador e deputados federal e estadual”, explicou.

 

“Fico muito satisfeito e honrado com essa confiança em mim depositada mais uma vez. Prometo continuar respeitando as instituições, como sempre tenho feito”, concluiu Nonato dos Santos.

 

O desembargador Nonato dos Santos tem uma longa e exitosa trajetória na Justiça Eleitoral. Quando tomou posse como juiz de direito, no interior cearense, em 1992, ingressou também como juiz eleitoral na região de atuação.

 

O primeiro prefeito cassado no estado do Ceará foi em um processo presidido por Nonato. “A Justiça Eleitoral previa cassar o mandato de um prefeito diante de ilícitos, e assim foi feito. Isso não me orgulha, mas era dever de ofício”, relatou.

 

Nonato lembra ainda que o Estado do Ceará manteve, através da Justiça Eleitoral, a linha mais dura. “O Ceará era conhecido em todo o País como um TRE rígido porque cumpre a legislação eleitoral. Vale lembrar que com a Lei da Ficha Limpa, das 27 unidades da federação, o Tribunal mais rígido era o Ceará, que cassou 28 políticos, enquanto São Paulo cassou apenas um e Minas Gerais com quatro casos”, lembra. Já o presidente eleito, desembargador Inácio Cortez foi o relator do caso em que o Tribunal cassou os mandatos dos deputados federal Genecias Noronha e estadual Aderlânia Noronha, marido e esposa, em fevereiro do ano passado.

 

O ex-governador Cid Gomes foi diplomado duas vezes pelo juiz eleitoral Nonato dos Santos. “A primeira foi em Sobral, quando ele foi prefeito daquele município, e na outra ocasião já foi em Fortaleza, quando o diplomei para o cargo de governador do Ceará. Isso é um fato curioso”, detalha.

 

 

 

Nenhum comentário: