quinta-feira, 20 de maio de 2021

Sindicato tenta derrubar liminar que determina retomada presencial do ensino médio no Ceará

Representantes fizeram manifestação em frente ao Fórum Clóvis Beviláqua. Além disso, o Sindicato Apeoc vai entrar com ação na justiça para recorrer da decisão.

Contra a decisão da justiça que determina o retorno das aulas presenciais de ensino médio no Ceará, representantes do Sindicato dos Professores e Servidores da Educação do Ceará (Apeoc) realizam ato político em frente ao Fórum Clóvis Bevilaqua, em Fortaleza, na tarde desta quinta-feira, 20. O órgão sindicalista informou que irá recorrer da decisão e tentar derrubar a liminar, concedida durante a manhã pela juíza Cleiriane Lima Frota.


"Vamos recorrer para derrubar essa liminar que quer impor um retorno presencial sem as condições sanitárias necessárias, em um momento crítico da Pandemia, onde o governo federal não garante vacinas, não tem insumos, não orienta cuidados e o pior, estimula a desobediência", destacou órgão em nota.

 

A 3ª Vara da Fazenda Pública concedeu uma tutela pedida por meio de Ação Popular, autorizando o retorno do modelo de ensino para o primeiro, segundo e terceiro ano do ensino médio. O modelo deve ser adotado sob cumprimento de normas sanitárias e "de forma híbrida, gradual e facultativa", similar à maneira como ocorre nos demais níveis liberados para realizar aulas presenciais.

 

A liminar ainda impõe que o Governo do Ceará deverá adotar providências em até cinco dias para que aulas sejam retomadas presencialmente em, no máximo, 15 dias. Em caso de descumprimento da ordem, será cobrada multa diária de R$ 100 mil.

(O POVO)



Nenhum comentário: