sexta-feira, 20 de maio de 2022

Pesquisa Ipespe: Lula tem 44%, Bolsonaro, 32% e Ciro, 8%, em cenário estável

 

Segunda a pesquisa divulgada nesta sexta, Bolsonaro tem o maior índice de rejeição: 59% dos entrevistados disseram que não votariam nele “de jeito nenhum”.

A terceira rodada da pesquisa Ipespe do mês de maio mostra que o cenário eleitoral na disputa pela Presidência da República permanece estável. Segundo o levantamento, tanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) repetiram a pontuação do levantamento da semana anterior. Lula segue líder com 44% das intenções de voto na estimulada para o primeiro turno, seguido por Bolsonaro, com 32%.

 

Ciro Gomes (PDT) tem os mesmos 8% da última pesquisa, e João Doria (PSDB) oscilou de 3% para 4%. André Janones (Avante) e Simone Tebet (MDB) mantiveram 2% cada, e o restante não pontuou. Indecisos, brancos e nulos somaram 8%, o menor porcentual desde setembro do ano passado.

 

A estabilidade na pontuação de Bolsonaro, diz um trecho da pesquisa, “aparece depois de uma sequência de levantamentos em que o presidente registrava tendência de alta que se estendia desde janeiro deste ano.”

 

Bolsonaro tem maior rejeição

 

Segunda a pesquisa divulgada nesta sexta, Bolsonaro tem o maior índice de rejeição: 59% dos entrevistados disseram que não votariam nele “de jeito nenhum”.

 

Doria aparece na sequência, com 53%. Sua “adversária” na disputa pela candidatura do bloco PSDB/Cidadadania/MDB, Simone Tebet foi rejeitada por 37% dos entrevistados.

 

Lula tem 43% de rejeição, enquanto Ciro e Luciano Bivar (União Brasil) aparecem com 42% cada. Ainda segundo o levantamento, para André Janones e Luiz Felipe d’Ávila (Novo), o índice de não votariam “jeito nenhum” é de 35%.

 

Segundo turno

 

A pesquisa Ipespe mostra que Lula mantém a vantagem sobre todos os adversários nas simulações de segundo turno. Contra Jair Bolsonaro, o petista tem 53% das intenções de voto, ante 34%. Se comparado com o levantamento da semana anterior, ambos oscilaram negativamente 1 ponto porcentual, enquanto brancos, nulos e que não votariam em nenhum dos dois foram de 10% para 13%.

 

Contra Ciro Gomes, Lula teria 53% dos votos (1 ponto porcentual a mais do que na semana anterior), enquanto o pedetista manteria os 25%. Se a disputa fosse entre Lula e João Doria, o petista teria 54% a 20%

 

Se a disputa no segundo turno fosse entre Ciro e Bolsonaro, o pedetista teria uma vantagem de 4 pontos contra o atual presidente, 44% a 40%.

 

Bolsonaro só tem vantagem contra Doria: 40% das intenções de voto ante 38% do tucano.

 

A pesquisa mostra ainda um cenário de estabilidade na aprovação ao governo Bolsonaro. Os que consideram a administração boa ou ótima se mantiveram em 32%. A avaliação negativa, no entanto, oscilou um ponto para cima, indo a 52%.

 

Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional entre segunda-feira, 16, e quarta-feira,18. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-08011/2022. A margem de erro máxima é de 3,2 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Nenhum comentário: