segunda-feira, 27 de junho de 2022

Os encontros regionais do PDT perderam o sentido, “agora é partir para os finalmente”

 

Os encontros regionais poderiam ocasionar ainda mais desgastes nessa reta final de escolha do nome pedetista.

O PDT pretendia realizar 12 encontros regionais em todo o Estado apresentando os quatro nomes da sigla para um deles ser o candidato da legenda ao Palácio da Abolição.

 

A estratégia foi montada quando Camilo Santana (PT) ainda era o governador do Ceará. A caravana de encontros regionais era comandada pelo senador Cid Gomes (PDT-CE) e pelo presidente estadual da agremiação, deputado federal André Figueiredo.

 

Nos encontros, evitava-se apontar às preferências por nomes e os quatro pré-candidatos faziam breves apresentações. A então vice-governadora Izolda Cela, o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, o deputado federal Mauro Filho e o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão.

 

Tudo transcorria normalmente até o dia em que o prefeito de Fortaleza José Sarto (PDT), deu uma declaração aberta de apoio ao ex-prefeito Roberto Cláudio. Camilo ainda como governador intensificou  a divulgação do nome de Izolda Cela, criou-se um clima de competição interna no PDT e, o Partido dos Trabalhadores, através do deputado federal José Guimarães terminou de aumentar as labaredas de fogo de uma fogueira que já estava alta.

 

O PDT, ainda teria mais dois encontros regionais programados, um para Sobral e outro para Itarema. A essa altura e com um clima que ainda não anda muito amistoso, o ideal seria parafrasear Odorico Paraguassu, de o Bem-Amado: ” vamos botar de lado os entretantos e partir para os finalmente”.

 

Os encontros regionais poderiam ocasionar ainda mais desgastes nessa reta final de escolha do nome pedetista.

 

Cid Gomes sempre disse que o nome escolhido deve estar melhor colocado nas pesquisas e ter aceitação do bloco de partidos aliados. Até ai, existe um empate técnico entre Izolda Cela e Roberto Cláudio, de acordo com a última pesquisa Real Time Big Data, Roberto estaria um pouco a frente de Izolda, mas ela leva vantagem em relação ao bloco de apoio dos partidos aliados. A grande questão agora é saber qual será o terceiro quesito que deve definir a escolha.

 

Ciro Gomes continua sendo a maior referência política do Ceará, sobretudo, para a escola dos seguidores da família Ferreira Gomes, mas, hoje, Camilo Santana é sem dúvida o maior cabo eleitoral da atualidade, com uma preferência de 67% das intenções de voto para o Senado, segundo a Big Data.

 

Com o impasse na definição dos nomes e a necessidade de baixar a temperatura da fogueira que ainda está alta nestas festas juninas, os encontros regionais do PDT, perderam realmente o sentido. Talvez fosse melhor o partido além das rodadas de pesquisas, realizar uma eleição indireta e secreta entre os deputados, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores do PDT e legendas aliadas para escolher o nome que vai para disputa, tirando o peso das costas dos caciques das duas siglas, que também queimam nas mesma fogueira das vaidades.

 

(Por Reginaldo Silva/Ceará Noticias)

Nenhum comentário: