terça-feira, 26 de julho de 2022

Indústria cearense comemora indicadores do primeiro semestre e fica mais confiante

 

Houve crescimento na produção industrial pela segunda vez consecutiva (Foto: Edimar Soares)

Pela segunda vez consecutiva, a indústria cearense encerrou o primeiro semestre do ano registrando avanço em seus indicadores, como produção, expectativa de demanda e compra de matérias-primas. A informação consta na Sondagem Industrial de junho, realizada pelo Observatório da Indústria, da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), e publicada ontem. O estudo é realizado mensalmente a partir de dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

 

O indicador de produção, por exemplo, atingiu 53,5 pontos. Também houve bom desempenho nos índices de expectativa de demanda (59,1 pontos) e compra de matérias-primas (57,2 pontos). O estudo é realizado mensalmente a partir de dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na edição de maio, a sondagem havia apontado crescimento nos principais indicadores industriais.

 

Conforme a análise de junho, houve crescimento na produção industrial pela segunda vez consecutiva, assim como as expectativas do setor para os próximos seis meses também são vistas como positivas pelos empresários.

“A indústria cearense fechou o semestre com tendência de crescimento e recuperação em diferentes segmentos, buscando alternativas de aumento de competitividade e de modernização, com transformação digital cada vez mais intensa”, analisa o economista e assessor econômico da Fiec, Lauro Chaves.

 

Capacidade instalada

 

Por outro lado, houve recuo no uso da capacidade instalada efetiva (44,1 pontos), ficando abaixo da usual, assim como o nível de estoques, que se mantiveram abaixo do planejado, “sugerindo que a demanda esteve acima do esperado pelos industriais”. O indicador emprego também caiu para 48,2 pontos.

 

Apesar disso, a indústria cearense mantém o otimismo para este segundo semestre, com destaque para investimentos.

 

“O setor está mais confiante, mas é importante reforçar que a perspectiva de crescimento sustentável da indústria cearense em patamares elevados ficará mais forte a partir de 2023, quando a economia mundial e brasileira tende a ter nível menor de risco e volatilidade”, acrescenta Lauro Chaves.

*O Otimista

Nenhum comentário: