teste

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

A manobra do senador Cid Gomes


A decisão do senador Cid Gomes (PDT) de interromper seu mandato por quatro meses, cedendo o lugar ao suplente Prisco Bezerra, irmão do prefeito Roberto Cláudio, surpreendeu aos que não conhecem bem a forma que ele utiliza como ator político para chacoalhar o ambiente. Cid sempre busca a renovação, a motivação e o debate com a sociedade. O mesmo do mesmo não passa na sua mente. Em 2014, na sua sucessão, todos comentavam os nomes de Eunício, Domingos, Zezinho, Izolda. Ele lançou Camilo Santana para sucedê-lo. Com Roberto Cláudio, fez o mesmo, quando todos davam como certo o apoio ao petista Elmano de Freitas.

Hoje, toda decisão política passa por Sobral, não só porque Cid é filho da terra, mas por sediar seu pequeno sítio, sua casa de repouso demorado e de meditação. O senador criou um grupo de WhatsApp para convidar e discutir o aniversário do irmão Ivo que,  no próximo dia 13, completa 52 anos. Mil histórias estão circulando sobre a festa. Comentam que receberá os principais agentes do PIB e da política. É verdade. Cid quer sentir algo ouvindo toda essa gente.

Nas mesas dos restaurantes e no Beco do Cotovelo, a conversa é a seguinte: Ivo vai para a reeleição, com Izolda na vice, e deixaria o cargo em 2022. Izolda seria a primeira prefeita de Sobral. Ivo seguiria o mesmo destino de Cid e Ciro: o Abolição. Na cabeça do animal político que sofre com uma síndrome que o faz sair de tempo, mas não afeta sua memória, sempre existe espaço para manobras que provocam a sociedade. Cid considera relevante oferecer sempre um bom cardápio ao eleitor. Ele não se importa em desagradar alguns aliados, desde que ofereça o banquete à população.
*Via Roberto Moreira


Nenhum comentário: