teste

domingo, 31 de maio de 2020

Sérgio Moro vai advogar para sobreviver


Sérgio Moro vai passar para o outro lado do balcão. Ele informou à Comissão de Ética da Presidência da República que vai trabalhar como consultor e advogado de um escritório — provavelmente, o de sua mulher, Rosângela.

Comunicou, também, que pretende dar aulas e aceitar um convite para ser colunista de uma revista.

Cabe ao colegiado avaliar se Moro pode mergulhar nos novos desafios, desde já, ou em caso de potencial conflito de interesses, lhe impor uma quarentena de seis meses. Sobre projetos políticos, claro, não precisou abrir nada à comissão.


Nenhum comentário: