terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Prefeitos de Varjota, Coreaú e Martinópole encontram gestões em situação de caos administrativo

 

Os novos prefeitos de municípios da Região Norte que assumiram a administração de suas cidades neste mês de janeiro encontraram um cenário de inúmeras dificuldades.

 

Em Varjota, após tomar posse, o Prefeito Elmo Monte (PDT), recebeu a gestão municipal diante de um quadro de omissão, ocultação e de total desrespeito ao patrimônio público. As instalações do prédio da prefeitura com salas sujas, sem cadeira, mofo e equipamentos quebrados.


 Durante a transição foi detectado veículos parados sem manutenção e obras abandonadas. A prática é conhecida como “desmonte” da máquina administrativa e serviços essenciais.

A Prefeitura de Varjota informa que está averiguando toda a situação da Prefeitura, como os setores se encontram neste momento e deve encaminhar ao Ministério Público todo o levantamento realizado pela nova gestão.

  

No município de Coreaú, o prefeito Edézio Sitonho (PDT), afirma por meio de publicações nas redes sociais que diante de um cenário de desorganização e desrespeito ao dinheiro público recebeu a gestão. “Nesta semana recebi da CAGECE uma comunicação de dívida no valor de R$ 86.557,47, deixada pela gestão anterior, referente a contas de água”, e para piorar, “foi detectada mais uma irregularidade, que se refere a falta de repasse, ao Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, das parcelas dos empréstimos consignados dos funcionários do Município, ou seja, o funcionário realizava o empréstimo, a gestão descontava da folha, porém não repassava o dinheiro aos referidos bancos”, pontuou o novo gestor. Reveja aqui.



  em Martinópole, a situação não é diferente, o prefeito interino Betão Souza (PP), recebeu a cidade com prédios abandonados à mercê de uma péssima administração que lhe antecedeu. Reveja aqui.

A cidade estava entregue às traças, ao abandono, à falta de administração comprometida com os reais problemas da cidade. Prédios públicos sucateados, alguns com fachadas pintadas, aparentemente tudo em ordem, mas dentro um verdadeiro descaso, em muitos prédios foi encontrado apenas lixo, lâmpadas queimadas, mofo, móveis velhos e quebrados. Poços profundos com bombas queimadas ou precisando de manutenção.

Betão disse que há muito mais descaso da gestão anterior, que o mesmo está fazendo um levantamento de tudo para tomar as devidas providências.

Entenda o que é “Desmonte” da gestão pública

 

O chamado “desmonte” da gestão pública consiste em um conjunto de condutas que implicam má gestão, descontinuidade administrativa, paralisação de serviços e dano ao erário, que vão desde o extravio e destruição dolosa ou culposa de documentação oficial até a dilapidação do patrimônio e o desvio de recursos públicos.

Com informações: Blog do Verissimo



 

Nenhum comentário: